Endurecimento da barriga na gravidez com dor

O período gestacional proporciona muitas modificações no organismo da mulher, para que toda a sua estrutura seja capaz de gerar o feto corretamente, dando a ele todas as condições de nutrição, crescimento e desenvolvimento até a hora do seu nascimento, que acontece normalmente por volta dos 9 meses.

O pré-natal, se  faz bastante necessário durante todo esse período, porque através desse acompanhamento, a mulher e o bebê ficam sob cuidados atenciosos de obstetras e/ou ginecologistas, que visam cuidar dos seus organismos, prevenindo e tratando possíveis transtornos, ministrando dicas e retirando diversas dúvidas que surgem ao longo do tempo.

Endurecimento da barriga na gravidez com dor

Grávida.
(Foto: Reprodução)

Em relação aos sintomas decorrentes durante a gravidez, o endurecimento da barriga é um processo classificado como normal quando:

» Não provoca dor;
» Surge aproximadamente na 25° semana gestacional;
» Duram cerca de 1 minuto;
» Não aumentam a intensidade;
» Acontece com frequência (em um prazo curto);
» Desaparece quando a gestante fica em repouso, se ajeita em uma posição confortável ou respira lentamente;

Mas, caso algum outro sintoma venha acompanhando o endurecimento, é completamente necessário que ajuda médica seja procurada, isso porque vários transtornos podem estar acometendo o organismo da mulher, prejudicando a sua saúde e a do feto.

Observação: O endurecimento pode vir seguido de desconfortos no final da gravidez (após a 37° semana), indicando sinais de um possível trabalho de parto.

Atenção

Se o endurecimento vier acompanhado de dores ou outros demais desconfortos no 1° e 2° trimestre de gravidez, ligue para o seu médico ou se destine ao hospital mais próximo o mais depressa possível, pois esses incômodos poderão estar indicando muitos perigos, como o aborto espontâneo.

Endurecimento por precipitação envelhecimento

É classificado como endurecimento por precipitação ou envelhecimento, o processo onde o calor é aplicado a um material maleável, com o intuito de reforçar suas características para obtenção de produtos mais resistentes em várias áreas e aplicações. Nessa técnica térmica, o objeto é aquecido até que alcance uma temperatura bastante elevada, ocasionando uma dissolução de um ou mais elementos, que são temperados posteriormente para manterem sua solução sólida.

O endurecimento se dá por esse modelo, através da criação de impurezas sólidas, denominadas como precipitados. Essas substâncias ajudam a impedir o movimento de deslocamentos na estrutura de uma rede cristalina, aumentando assim a força do material e também do seu rendimento.

Endurecimento por precipitação/envelhecimento

Explicação do endurecimento por precipitação.
(Foto: Reprodução)

As ligas mais utilizadas na realização dessa técnica são o metal, o alumínio, titânio, níquel e o magnésio. Esse processo de envelhecimento pode vir a durar entre 1 à até 20 horas, para que o precipitado se dissolva completamente. Para conseguir alcançar a supersaturação da solução é necessário que uma têmpera seja feita, onde poderá ser completada com ar, água ou com ambos elementos.

Assim que a têmpera é concluída, a solução se torna endurecida de maneira artificial. O tempo de envelhecimento, a temperatura e o umedecimento são determinados pela força desejada do produto final. Nesse processo, é muito importante ficar atento, pois as temperaturas altamente elevadas e muito tempo de imersão, podem conduzir a uma menor quantidade de precipitados, o que proporciona a diminuição da resistência e o aumento da ductilidade do material.

Grande parte das ligas que são criadas através dessas reações, se fazem muito utilizadas em industrias de transformação, onde são usadas para produzir peças que conseguem resistir a situações de altíssimas temperaturas.

Curiosidade

O envelhecimento natural é outra opção para a realização dessa técnica, porém, a conclusão do processo pode vir a demorar vários dias ou até mesmo semanas.

Endurecimento das pernas

Todo e qualquer sintoma que acomete o nosso organismo de uma maneira diferente da sua normalidade, costuma ser um sinal de alerta do corpo, onde demonstra que algo não está indo bem, como o endurecimento das pernas e coxas, que vem se tornando uma das principais queixas em consultórios médicos na atualidade, em relação aos membros inferiores.

Essa alteração costuma variar de intensidade e frequência de acordo com as suas causas, que podem ser constatadas através de um bom diagnóstico médico, onde será avaliado as condições do paciente, a sua predisposição genética, idade, sexo, hábitos e atividades diárias e todos os demais sintomas presentes.

Endurecimento da perna: causas, sintomas e tratamento.

Mulher com dor na perna.
(foto: divulgação)

Estudos e estimativas revelam que as principais causas desse distúrbio são:

Doença arterial periférica

Causas

Essa enfermidade se trata de uma condição dos vasos sanguíneos que com o passar do tempo vão ocasionando o estreitamento e endurecimento das artérias dos membros inferiores do corpo, com mais intensidade nas pernas e nos pés.

Isso acontece devido ao acúmulo de placas de gordura nas artérias, fazendo com que as suas paredes fiquem mais rígidas e nem um pouco propensas para o seu alongamento, não permitindo a passagem de grandes fluxos de sangue.

Os principais indivíduos que são acometidos por essa enfermidade são os homens, que possuem mais de 50 anos e pessoas que apresentam casos de diabetes, colesterol anormal, hipertensão, doença arterial coronária, doença cerebrovascular, doença renal que envolve hemodiálise, etc.

Sintomas

» Dor;
» Sensibilidade;
» Cansaço;
» Queimação;
» Desconforto nos músculos dos pés, coxas e panturrilhas;
» Pernas ou pés costumam ficar dormentes quando está em repouso;
» Pernas frias ao toque;
» Pele pálida;
» Impotência;
» Dor e cãibras com mais intensidade a noite;
» Dor ou formigamento nos pés ou dedos dos pés;
» Úlceras que não possuem cura;

Tratamento

Os cuidados ministrados com o paciente vão variar de acordo com o diagnóstico do seu quadro, podendo ele se dar através de autocuidados, uso de medicamentos e cirurgias (nos casos mais graves).

Trombose

Causas

Essa doença se dá devido as formações de coágulos nas veias localizadas na parte interior do corpo, acometendo com mais intensidade e frequência a região das pernas. Esse processo costuma proporcionar o bloqueio do fluxo sanguíneo, gerando inchaço, dor e endurecimento do local afetado.

Essa enfermidade costuma acometer com mais frequência, indivíduos que possuem mais de 60 anos de idade, pessoas que fumam, estão acima do peso, sofrem de insuficiência cardíaca, passaram por processo cirúrgico a pouco tempo, às mulheres que tomam anticoncepcionais, estrogênios, tenham hipercoagulabilidade ou câncer.

Sintomas

» Dor na perna;
» Sensibilidade;
» Inchaço;
» Alterações na cor da pele;
» Aumento de calor em uma perna;
» Pele com aparência quente ao toque.

Tratamento

Após a realização de um diagnóstico mais detalhado, a forma de tratamento será dada, de acordo com o quadro do paciente, através do uso de medicamentos ou processos cirúrgicos (nos casos mais graves).

Aviso

Todas as informações descritas acima funcionam apenas como um informativo. Portanto, se alguma alteração estiver acometendo o seu organismo, procure ajuda médica imediatamente para a realização do diagnóstico. Lembre-se que o quanto antes as causas forem constatadas, menos lesões o corpo irá sofrer, além de diminuir uma grande porcentagem de complicações que possam vir a surgir pela falta de cuidados.

Endurecimento das articulações

A inflamação ou o endurecimento das articulações podem causar vários transtornos na vida de um indivíduo, atrapalhando gradativamente a realização das suas atividades diárias. Os motivos desse distúrbio variam de acordo com os hábitos do enfermo,  genética, o desgaste do local afetado, possíveis traumas e lesões, entre outros fatores.

Os sintomas que evidenciam esse comprometimento das articulações se dão de acordo com a doença que está acometendo o organismo do paciente, podendo ser elas (na maioria dos casos):

Endurecimento das articulações.

Rigidez nas articulações das mãos.
(Foto: Reprodução)

Artrite

Corresponde a uma ou mais inflamações nas articulações, provocando o endurecimento da região afetada.

Causas

A principal razão que ocasiona essa enfermidade é a quebra da cartilagem, pois ela se faz responsável por proteger a articulação, promovendo o seu bom funcionamento e movimentação, além de absorver todos os choques quando a área é imposta a um certo grau de pressão.

Sintomas

» Dor e inchaço nas articulações;
» Vermelhidão da pele ao redor da articulação;
» Aquecimento ao redor da área afetada;
» Rigidez presente com mais intensidade pela manhã;
» Redução na capacidade de mover as articulações;

Tratamento

Os motivos que ocasionam a doença quase nunca conseguem ser curados, por isso, todo o tratamento se dá para diminuir os incômodos da doença, podendo ele se dar com a mudança dos hábitos de vida do enfermo, o uso de medicamentos, substituição da articulação, artroplastia, entre outros processos cirúrgicos.

Artrose ou osteoartrite

Se trata de um dos distúrbios mais comuns presentes nas articulações, que podem causar a inflamação e endurecimento.

Causas

Os principais fatores que ocasionam essa enfermidade são o desgaste de uma ou mais articulações, que podem estar ligadas a fatores genéticos, aumento de peso, a quebra da cartilagem ou a formação de esporões ou bicos de papagaio ao redor das articulações e ligamentos do corpo.

Sintomas

» Dor e rigidez nas articulações, com mais intensidade após a realização de exercícios físicos;
» Estalos, som de fricção ou atrito ao se mover;
» Dificuldade em se movimentar nas primeiras horas da manhã;
» A dor poderá se dar durante a realização de atividades, em momentos de descanso e também durante a noite, podendo despertar o enfermo de acordo com a sua intensidade;

Tratamento

Essa doença não tem cura, por isso, seu tratamento se faz muito importante, para que os sintomas sejam controlados, diminuindo os desconfortos diários do enfermo. Ele pode se dar com o uso de medicamentos, sessões de fisioterapia, mudanças no hábito de vida, acupuntura, S-adenosilmetionina, órteses e com processos cirúrgicos (nos quadros mais graves).

Espondilite aquilosante

Caracterizada como uma doença de longo prazo que causa inflamações e endurecimento das articulações da coluna vertebral.

Causas

Não existem causas específicas constatadas para essa enfermidade, mas pesquisas revelam que ela está ligada a fatores genéticos, se dando com mais frequência em indivíduos que possuem entre 20 à 40 anos, do sexo masculino e que tenham histórico familiar de espondilite anquilosante.

Sintomas

» Dor e rigidez da área afetada, com mais intensidade durante a noite;
» A dor se manifesta gradativamente na coluna;
» Fadiga;
» A dor costuma melhorar com a execução de exercícios físicos;
» Perda de peso;
» Perda de apetite;
» Febre baixa;
» Inflamação nos olhos;
» Inchaço na área afetada;
» Dor e rigidez no quadril e no calcanhar;

Tratamento

Os métodos utilizados irão variar de acordo com a análise médica, podendo se dar com o ministramento de medicamentos não esteroides, inibidores de TNF, sessões de terapia com corticoides, exercícios físicos regulares e cirurgia (nos casos mais graves).

Atenção!

Esse texto se faz apenas como um informativo. Se você vem sentindo algum tipo de desconforto no corpo, onde os sintomas vem se fazendo cada vez mais frequentes e intensos, procure ajuda médica imediatamente para que seu quadro seja diagnosticado e tratado da maneira correta. Além das causas descritas acima, o endurecimento das articulações e a sua inflamação, podem ser provenientes de outros motivos, portanto, fique atento!