Empurrar ou tirar a cutícula?

Cuidar da estética é uma necessidade que vem sendo expressa pelo público feminino e também pelo masculino, onde ambos procuram procedimentos em salões de beleza e clínicas especializadas para cuidar do corpo, da pele, dos cabelos e das unhas.

E por falar em unhas, um dos principais hábitos dos brasileiros é fazer a remoção das cutículas na manicure e/ou pedicure, prática que está levantando questionamentos preocupantes em milhares de pessoas devido aos seus pós e contras proporcionados à saúde do organismo.

A cutícula é conhecida popularmente como a “pelinha” que contorna a unha. Sua apresentação nos indivíduos se diferencia apenas pelo tamanho, sendo caracterizadas como “grossas e finas”. A remoção da sua estrutura é priorizada na maioria das vezes pelas mulheres, porque afirmam que elas atrapalham na hora de pintar as unhas, deixando um aspecto visível desfavorável.

Por pensar somente nessa particularidade, quase ninguém viabiliza a devida atenção que essa “pelinha” merece. Dentre as vantagens em tê-las, podemos citar:

Empurrar ou tirar a cutícula?

Unhas sendo esmaltadas.
(Foto: Reprodução)

» Deixam as unhas fortes e saudáveis;
» Evita o aparecimento de ondulações, manchinhas brancas e doenças infectocontagiosas;
» Impedem o contato da unha com as bactérias e outros demais micro-organismos que danificam a sua estrutura.

Empurrar ou tirar a cutícula?

As profissionais do ramo destacam que a melhor escolha nesse processo é apenas empurrar as cutículas e efetuar essa ação de forma delicada, assim as peles e descamações irão diminuir com o passar do tempo, ficando mais finas e basicamente imperceptíveis, não prejudicando a esmaltação.

Além disso, o acabamento das manicures fica ainda melhor do que já era, a durabilidade das pinturas aumentam e a sua manutenção fica muito mais fácil, sem mencionar que por diminuir as atividades de retirada, o preço do serviço ainda pode cair um pouco em alguns salões.

Dica incrível!

Se você acha que as suas cutículas possuem uma aparência muito grosseira, saiba que com a realização de alguns hábitos, em pouco tempo isso pode mudar. Dermatologistas afirmam que higienizar bem as mãos e os pés e passar hidratantes em suas estruturas várias vezes ao dia auxilia na diminuição do ressecamento, no afinamento das “pelinhas” e ainda proporciona maciez a pele.

Atenção

Se mesmo após as informações descritas acima você escolher retirar as cutículas, tenha muito cuidado. Faça essa prática com um/a profissional de confiança, tenha seus próprios materiais e esterilize-os sempre que arrumar as unhas, para conter as chances de infecções.

Catapora em bebês, como tratar?

Logo que os bebês nascem as preocupações com o seu desenvolvimento ficam ainda mais constantes, onde os pais e responsáveis proporcionam uma excelente alimentação e higienização para aumentar a resistência dos seus sistemas imunológicos, deixando-os mais saudáveis e menos sensíveis para o acometimento de doenças.

Porém, existe uma enfermidade viral que pode se manifestar mesmo com a articulação de tantos cuidados. A catapora é considerada um dos distúrbios mais comuns da infância, podendo ser muito contagiosa para os pequenos e também para as pessoas que nunca foram afetadas – já que sua apresentação acontece da mesma forma em todos os tipos de público.

O primeiro ano de vida do bebê é o período em que ele se encontra mais propenso para adquirir essa doença, mas até os 10 anos de idade é quase certeza que ela se demonstre. Os adolescentes, jovens e adultos, quando são atingidos pelo vírus reproduzem quadros mais graves, com sintomas mais intensos.

Causas

A catapora é provocada pelo contato do vírus varicela-zóster com o organismo humano. É uma patologia de fácil contágio e por isso é importante que o indivíduo seja afastado dos ambientes públicos e de pessoas que nunca foram contagiadas para evitar a transmissão.

Sintomas

Catapora em bebês, como tratar?

Bebê limpinho evita a coceira.
(Foto: Reprodução)

» Coceira;
» Febre;
» Mal-estar sem explicação;
» Bolhas avermelhadas pelo corpo;
» Perda de apetite;
» Dor de cabeça e de barriga;
» Sensibilidade no corpo e choro fácil;
» Formação de crostas no local das bolhas.

Observação: Os sintomas da catapora levam de 10 a 21 dias para se apresentar.

O que fazer?

Assim que os sintomas começarem a surgir, a ajuda médica deverá ser procurada, principalmente se o bebê tiver menos que 12 meses, pois ainda não haverá tomado a dose de contenção dessa doença e por consequência seus desconfortos serão mais agressivos.

Diagnóstico

A constatação da enfermidade pode ser feita através de exames físicos, análise clínica, testes sanguíneos e coleta (da pele ou da secreção expelida pelas bolhas).

Tratamento

O tratamento em crianças é realizado através da manipulação de medicamentos orais e pomadas, onde ambos farão a contenção dos sintomas até acontecer a eliminação do vírus.

Complicações

Dentre as principais complicações que a catapora não tratada pode desenvolver, podemos citar a infecção secundária, herpeszóster, pneumonia, encefalite, miocardite, ataxia cerebelar, artrite, entre outros problemas de saúde.

Prevenção

A única maneira de tentar evitar o acometimento do vírus é tomando as doses das vacinas tetra viral e contra varicela.

Recomendações

» Corte as unhas do bebê para que ele não se machuque ao coçar as bolhas;

» Dê banhos mornos no pequenino várias vezes ao dia, evitando com que ele fique sujo ou suado, porque o calor faz com que as bolhas cocem ainda mais;

» Evite que a criança fique exposta ao sol enquanto estiver doente, cobrindo-a bem com um paninho e roupas leves quando isso não for possível.

Curiosidade

A catapora pode se apresentar por mais de uma vez no organismo de uma pessoa, mas é bastante difícil que isso aconteça.

Aviso!

As descrições acima servem apenas para pesquisa. Caso necessite de mais informações ou um disgnóstico específico para a criança, procure ajuda médica.

Saiba quais doenças são provindas de uma má alimentação

A facilidade de encontrar estabelecimentos com alimentos altamente calóricos, mercadorias industrializadas repletas de conservantes, corantes, agrotóxicos e outras substâncias é enorme nos tempos atuais e por essa razão, a saúde de milhares de pessoas vem sofrendo prejuízos a curto, médio e longo prazo.

Os maus hábitos alimentares e o sedentarismo são os dois fatores que mais interferem no bem-estar dos indivíduos, prova disso é que quem articula ambas particularidades de maneira inadequada vem sentindo os efeitos na “pele”, através do ganho de peso, menor desempenho físico, cansaço demasiado e queda da imunidade.

Parece banal ou até mesmo um mito, mas a alimentação pode vir a ser um dos principais motivos da manifestação de doenças no organismo, porque quem não come bem, pula refeições e abusa das quantidades diminui a disponibilidade de ricos nutrientes para a estrutura corporal, sendo essas propriedades essenciais para o seu bom funcionamento e manutenção.

Dentre as enfermidades mais destacadas nesse processo, podemos citar:

Saiba quais doenças são provindas de uma má alimentação

Sanduíche super calórico.
(Foto: Reprodução)

Obesidade;
Pancreatite;
Colelitíase;
Colecistite;
Cancro;
Colesterol elevado;
Hipertensão;
Diabetes;
Anemia;
Desnutrição;
Hepatite aguda;
Osteoporose;
Prisão de ventre;
Cirrose hepática;
Cárie e problemas dentários;
Gastrite aguda e crônica;
Doenças cardiovasculares, do sistema nervoso e psíquico.

É importante que todas as pessoas fiquem atentas as modificações apresentadas pelo corpo e não achar normal os incômodos que se manifestam, mesmo que seja “de vez em quando”. Estar acima do peso e comer descontroladamente são dois dos sintomas mais constatados nos casos acima, mas todo e qualquer desconforto deve ser considerado, como dor de dente, mal-estar, baixa autoestima, palpitações, dor abdominal, dificuldade em evacuar, etc.

Atenção!

Outras causas também podem estar associadas aos distúrbios descritos acima, portanto, procure ajuda médica assim que os primeiros sintomas surgirem para que o tratamento seja dinamizado precocemente, diminuindo os danos e efeitos colaterais no organismo.

Dicas

Mesmo que nenhum desconforto esteja aparente, que tal mudar os hábitos? Siga as recomendações a seguir do Fiapo de Jaca e analise como a sua vida irá mudar para melhor em poucos dias!

Coma fracionadamente, de três em três horas;
Beba bastante água ao longo do dia;
Durma bem;
Pratique exercícios físicos regularmente;
Mantenha uma boa higienização de toda a estrutura corporal, principalmente da região bucal;
Evite o consumo de produtos industrializados, bebidas alcoólicas e gaseificadas, carboidratos com elevado índice glicêmico, sódio, frituras, pele de frango, gordura, açúcares;
Opte por ingerir alimentos naturais, frutas, verduras, legumes, proteínas, fibras, carboidratos com baixo índice glicêmico, oleaginosas, integrais.

Como lidar com um amigo apaixonado

Muitas pessoas não acreditam em amizades verdadeiras entre mulheres e homens, acreditam que no fundo dessa forte ligação existe muito mais do que é expresso para a sociedade, mas se enganam, porque todos os indivíduos conseguem estabelecer um laço amigável independente do gênero que possuam.

É claro que existem casos onde as partes – em algum momento – podem vir a se confundir com o que sentem e acabar levando essa troca de afeto para o lado mais romântico, onde o fogo da paixão habita, isso porque ninguém manda no coração.

Um dos casos mais comuns a serem analisados nessa articulação são as declarações repentinas dos homens por suas amigas, onde expõem a vontade que sentem de ficar junto, como ela se tornou especial e é uma peça fundamental em sua vida, o quanto esconder o que sente foi difícil, entre outras particularidades.

Como lidar com um amigo apaixonado

Amigos apaixonados.
(Foto: Reprodução)

A grande dificuldade nesse processo é que nem sempre o sentimento demonstrado é recíproco, na maioria das vezes a menina já é apaixonada por outro rapaz ou não se deixa envolver pela confissão com medo de acabar perdendo a amizade que possui.

O que fazer?

Se você está passando por esta situação e percebeu que está completamente perdida, saiba que a decisão a ser tomada depende apenas das suas vontades, ou seja, se deseja ter um relacionamento amoroso com o menino ou se quer mostrar que a única coisa que prevalecerá entre ambos é a amizade.

Se a opção escolhida foi a primeira, entregue-se! Ninguém te conhece tão bem como o seu melhor amigo e esse afeto tende muito a dar certo, já que os dois sabem lidar com as qualidades e defeitos um do outro. Não fique com medo de que essa aproximação cause o fim da amizade, isso só irá acontecer se quiserem.

Mas se a segunda opção foi a que prevaleceu, afaste-se! Mesmo sentindo falta da companhia do rapaz, talvez essa iniciativa seja a melhor escolha a ser tomada por um período ou até que o outro consiga perceber que ele em algum pedaço da história acabou se enganando e confundindo o que sentia.

Evitem o tratamento de silêncio, porque só irá machucar. Procure sempre ter uma conversa clara, franca, onde fique estabelecido as necessidades que cada um possui e até que ponto essa paixão vai ajudar ou atrapalhar a amizade e o contato que possuem.

Como movimentar a língua no beijo

O primeiro beijo de língua é algo marcante na vida de todas as pessoas pois se trata de uma experiência diferente, mantemos uma conexão maior de carinho e afeto com a pessoa que gostamos.

Enquanto jovens, muitos consideram essa prática como algo nojento, outros acham maravilhosa, mas não tem como julgar algo que nunca fizemos, não é mesmo? Se você está se preparando para dar esse importante passo, saiba que não tem muito segredo, porém, existem dicas que podem ajudar a fazer com que tudo ocorra perfeitamente.

Em prol dos pombinhos apaixonados, o Fiapo de Jaca apresentará a seguir medidas que ao serem executadas poderão diminuir as tensões, controlar os medos e expectativas para que esse beijo seja sensacional. Aproveite!

Como movimentar a língua no beijo

Casal apaixonado.
(Foto: Reprodução)

Observação: Antes de mais nada é relevante destacar que beijar só se aprende beijando!

Tenha mais confiança em si mesmo/a.

Tente ficar bem tranquilo/a.

Promova cuidados essenciais antes do encontro, como uma boa higienização bucal. Chupar balinha também é algo válido, pode proporcionar um gostinho saboroso ao beijo.

Eleve sua autoestima. Se arrume, vista a roupa que mais gosta e fique bem cheiroso/a para se sentir bem e agradar a pessoa.

Mantenha um bom diálogo ao invés de já chegar beijando, principalmente se quiser compromisso sério.

Se entregue ao diálogo e vá se aproximando lentamente da pessoa, tentando fazer com que ela tenha a mesma reação. Assim a química e o desejo irão surgir.

Comece o beijo dando um selinho, tocando os lábios de leve. Quando o contato for mais intenso, não exagere no movimento do rosto, nem da língua, também tome bastante cuidado para não bater os dentes – apesar de ser engraçado por ser a primeira vez.

Deixe que a frequência do beijo aconteça de acordo com o clima. Não precisa sentir insegurança, após o primeiro toque dos lábios o corpo de ambos saberá como reagir.