Fiapo de Jaca » Novidades » Superbactérias resumo completo

Superbactérias resumo completo

As superbactérias estão sendo consideradas um fator de grande preocupação à saúde. Entenda neste artigo o que elas são, como agridem o organismo e confira algumas dicas para se proteger destes micro-organismos.

     

Através de vários estudos, cientistas comprovaram que as superbactérias vem se tornando um grande alerta à medicina pois, além de representarem grande perigo à saúde os seres humanos, estão se reproduzindo rapidamente, se manifestando com frequência e ficando cada vez mais resistentes aos tratamentos propostos.

Essa categoria de micro-organismos, corresponde as bactérias que causa doenças patogênicas, sendo resistentes a vários tipos de antibióticos, com mais relevância aos tradicionais. Seu surgimento se deu através da ministração errada desses medicamentos, da sua indiscriminação e da automedicação dos indivíduos sem o acompanhamento médico.

Devido o uso contínuo das substâncias encontradas nos antibióticos, as bactérias começaram a ganhar resistência a esse tipo de medicamento. Isso porque o tratamento quando feito de maneira incorreta, não elimina esses micro-organismos do corpo, fazendo com que eles fiquem mais fortes e propensos a suportar os remédios ingeridos pelos seus enfermos.

Reprodução das bactérias

Superbactérias: reprodução, alertas, tratamento, cuidados e curiosidade.

Ser humano feito de antibióticos.
(Foto: Divulgação)

As bactérias possuem reprodução assexuada, procedimento que acontece de maneira muito rápida, em cerca de 20 minutos um micro-organismo consegue se dividir em dois. Existe ainda a possibilidade de bactérias diferentes trocarem informações e materiais biológicos entre si, podendo vir a transferir o DNA de uma à outra, fazendo com que elas fiquem ainda mais resistentes, mesmo com a ausência de sexo.

Os locais mais atraentes para o ataque das superbactérias são os hospitais, com mais relevância nos centros cirúrgicos e UTI’s, devido o fato delas conseguirem se desenvolver de maneira rápida. O seu acometimento se dá com mais frequência em indivíduos que estão debilitados, com baixa imunidade.

Os principais meios de transmissão com as superbactérias se dão pela falta de higiene e o contato com as secreções de um indivíduo que esteja infectado.

Alerta

O principal perigo desse contágio é que quando as superbactérias entram em contato com o organismo que esteja com baixa imunidade, principalmente crianças e idosos, pode levar o indivíduo a óbito, devido a debilitação gradativa do funcionamento dos órgãos do corpo.

Superbactérias

Os principais micro-organismos dessa categoria constatados até hoje são:

» Clostridium: causa infecções intestinais;
» Streptococcus: causa infecções respiratórias;
» Psudonomas: causa infeções intestinais, urinárias e pulmonares;
» Proteus: causa infecções intestinais e urinárias;
» Enterecoccus: causa infecções e intestinais e problemas nas válvulas do coração;
» Staphylococcus aureus: causa infecções na pele e no sistema respiratório;
» NDM-1: causa infecções na pele;
» KPC (Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase): causa infecções urinárias, no sangue, pneumonia e vários outros problemas, podendo levar o indivíduo a óbito.

Tratamento e cuidados

O tratamento das superbactérias é bastante forte, onde são ministrados antibióticos específicos que podem vir a causar vários tipos de efeitos colaterais no enfermo.

Para prevenir o contágio com essa categoria é necessário:

» Lavar bem as mãos com água e sabão quando for se alimentar, após utilizar o banheiro e quando ficar em contato com alguém que esteja doente;
» Fazer o uso de antibióticos apenas quando tiver prescrição médica;
» Realizar de maneira rigorosa todos os procedimentos de higienização e desinfecção em clínicas e hospitais, principalmente se for funcionário do local.

Curiosidade

Pesquisas revelam que se o ministramento dos antibióticos continuarem acontecendo de maneira incontrolada, até o ano de 2030, muitos desses medicamentos não farão mais efeito no organismo humano, provocando assim grande epidemia no mundo.

Saiba Mais:


Quer comentar ?