O que fazer quando se sofre pancadas na cabeça

Nem sempre é fácil saber o que fazer com uma pessoa que acabou de sofrer uma pancada na cabeça, posto isto, qualquer batida que machuca o couro cabeludo, crânio ou cérebro, precisa de cuidados.

Não importa se a lesão é uma pancada no crânio ou alguma lesão cerebral grave, saber o que fazer na hora é de deveras importância para evitar traumas piores. Entenda a seguir:

• Traumatismo craniano fechado indica um golpe duro na cabeça por algum objeto, porém, esse objeto não quebrou o crânio.
• Traumatismo craniano aberto ou penetrante com ferimento na cabeça, indica que um objeto atingiu e quebrou o crânio, entrando no cérebro.

Veja a seguir, lesões na cabeça:

• O mais comum é a concussão, que é uma lesão cerebral traumática, onde o cérebro foi abalado
• Feridas no couro cabeludo
• Fraturas do crânio

Veja a seguir, onde ferimentos na cabeça podem causar sangramento:

Homem com dor na cabeça

• No tecido cerebral
• Nas camadas que envolvem o cérebro (hemorragia subaracnoide, hematoma subdural, hematoma extradural).

Veja a seguir, as causas mais comuns de lesões na cabeça:

• Quedas
• Agressão física
• Acidentes de trânsito
• Acidentes em casa, trabalho, ao ar livre, ou durante a prática de esportes

Veja a seguir, os sintomas ocasionadas após uma pancada na cabeça

• Os sintomas podem ocorrer de imediato ou desenvolver-se durante algumas horas ou dias.
• Pancadas podem resultar em sangramento ou inchado.
• A medula espinhal poderá ser ferida, assim como algumas lesões podem acarretar mudanças na função cerebral, conhecida como lesão cerebral traumática.
• Cerebral traumática leve é a concussão, podendo ser leve ou grave os seus sintomas.

Veja a seguir, quais situações deve-se procurar um médico quando alguém sofre pancadas na cabeça:

• Quando a pessoa estiver muito sonolenta
• Quando a pessoa estiver se comportando de maneira anormal
• Quando a pessoa tem forte dor de cabeça ou se o pescoço estiver duro
• Quando a pessoa está com as pupilas (a parte central escura do olho) de tamanhos desiguais
• Quando a pessoa não consegue mover um braço ou perna
• Quando a pessoa perde a consciência, mesmo que brevemente
• Quando a pessoa vomita mais de uma vez.

Veja a seguir, o que fazer quando alguém sofre pancadas na cabeça:

Homem com dor na cabeça

• Observar as vias aéreas da pessoa, respiração e circulação. Caso seja preciso, inicie a respiração artificial e faça massagem cardíaca
• Quando a pessoa estiver inconsciente, porém respirando, estabilize a cabeça e o pescoço, coloque as mãos nos dois lados da cabeça da pessoa, não esqueça de manter a cabeça em linha com a coluna vertebral e espere a ajuda medica
• Quando ocorrer sangramento, pressione com um pano limpo sobre o ferimento. Caso o sangue encharque o pano, coloque outro pano sobre o primeiro
• Não aplique pressão direta no local do sangramento em suspeitas de fratura de crânio, além disso, não remova os detritos da ferida, mas cubra o ferimento com gaze estéril
• Role a cabeça da pessoa, pescoço e corpo como um todo para o seu lado, caso a pessoa esteja vomitando, assim evitará que ela se engasgue. Não deixe de aplicar compressas de gelo nas áreas inchadas.
• Procure um hospital se o ferimento na cabeça for grave, principalmente se houver hemorragia ou danos cerebrais.

Veja a seguir, o que não fazer quando alguém sofre pancadas na cabeça:

• Não deve-se lavar o machucado da cabeça, principalmente se for profundo e sangrar muito
• Não deve-se remover qualquer objeto que esteja saindo da ferida
• Não deve-se mover a pessoa a não ser que seja realmente necessário
• Não deve-se agitar a pessoa, principalmente se ela estiver atordoada
• Não deve-se remover o capacete quando houver suspeitas de lesões graves na cabeça
• Não deve-se pegar uma criança caída que tenha sinais de ferimentos na cabeça
• Não deve-se beber álcool nas 48 horas após um traumatismo craniano grave.

Tratamento para dor na coluna

Difícil encontrar alguém que nunca tenha sentido dores na coluna. Essa queixa é comum, principalmente quando é vinda de um adulto. Lumbago é o nome dado para dor nas costas. Compreenda, que não é uma doença, porém é uma dor incômoda com diferentes causas, podendo ser complexa ou não.

Geralmente, a dor nas costas deve-se a má postura ao se sentar, deitar, para se abaixar no chão ou carregar algum objeto pesado. No entanto, essa dor pode ser ocasionada também por infecção, hérnia de disco, escorregamento de vértebra, artrose e até mesmo acarretada pelo emocional.

Sendo assim, a lombalgia poderá ser aguda, que é o mau jeito, ou seja, a dor aguda surge após algum tipo de esforço físico, sendo mais comum em pessoas jovens. A lombalgia poderá ser também crônica, porém é mais comum nos mais velhos. A dor crônica não é tão intensa, mas geralmente, é permanente.

Sintomas

• Lombalgia aguda: a dor poderá durar até dois meses.
• Lombalgia crônica: Dor duradoura, podendo durar toda uma vida.
• Travamento na coluna.
• Limitação na flexão anterior da coluna.
• Limitações nos primeiros movimentos da manhã.

Causas:

• Sedentarismo
• Idade
• Herança genética
• Má Postura
• Pesos que inclinam a coluna para frente
• Esportes diários com movimentos repetitivos

Tratamento

Médico

O tratamento será de acordo com o diagnóstico dado pelo médico sobre a situação do paciente. Por exemplo, será necessário saber se a dor nas costas é causada por uma protrusão, hérnia ou se o problema foi acarretado pela má postura, muscular ou ergonômico.

• RMA da coluna vertebral: Esse tipo de tratamento é uma fisioterapia manual, incluindo mesa de tração eletrônica, mesa de descompressão dinâmica, que tem o intuito de melhorar a mobilidade do músculo-articular, reduzindo a compressão no complexo disco vértebras e facetas, concedendo lugar para os nervos e gânglios. Além disso, para dar firmeza aos músculos profundos e posturais da coluna vertebral com atividades terapêuticas.
• Fisioterapia convencional: Tipo de tratamento com fisioterapia traumato-ortopédica, que utilizam eletroterapia, termoterapia, fototerapia, cinesioterapia, hidroterapia e massagem, que são ótimos para beneficiar a coluna com bons resultados, principalmente quando possuem exercícios de alongamento, mobilização articular e fortalecimento muscular.

Tratamentos caseiros

• Bolsa de água quente no local da dor: Você poderá encontrar bolsas térmicas de gel em farmácias, que ajudam a relaxar os músculos, ocasionando o alívio da dor.
• Exercícios de alongamento para a coluna: Você poderá alongara coluna, após ter feito o uso da bolsa térmica, pois o alongamento ajudará na circulação sanguínea, ocasionando a elasticidade. Por exemplo, deite de barriga para cima e leve uma perna de cada vez até você, segure a perna durante um minuto e faça com a outra, pare alguns segundos para repousar.

Dicas para descansar a coluna na hora da dor

Massagem na coluna

• Relaxe a coluna, por exemplo, fique deitado por um tempo
• Coloque uma compressa morna no local da dor
• Tome um banho morno e deixe a água morna cair na região que sente dor
• Quando a dor for intensa, não evite tomar remédio

Medicamentos

• Analgésicos
• Anti-inflamatórios
• Relaxantes musculares

Dicas, para evitar que a dor aguda vire dor crônica

• Correção na postura
• Quando a dor na coluna é aguda, a ginástica não é recomendada, no entanto, após o fim da crise, é indicado exercícios leves, que sejam apropriados.
• Evitar ficar curvado
• Para abaixar no chão, lembrar de dobrar os joelhos e não dobrar a coluna.
• Não dormir em colchões moles demais e nem que sejam muito duros.

Dicas importantes:

• Quando a dor lombalgia é aguda, fazer atividades físicas não é indicado. Sendo assim, é necessário fazer repouso absoluto, ou seja, ficar deitado na cama. A dica é deitar em posição fetal, com as pernas encolhidas.
• Não é recomendado também na fase aguda: tração, manipulação, RPG, cinesioterapia, alongamento, incluindo massagem.
• Não é comum que adolescentes sintam dor na coluna, logo, é imprescindível que a causa da dor seja investigada cuidadosamente por um médico ortopedista.
• Entenda que é necessário manter repouso absoluto, pois assim, não será necessário tomar muitos medicamentos.

 

Dores no joelho ao dobrar a perna

Os membros inferiores da estrutura corporal são expostos diariamente a vários tipos de transtornos, pois se movimentam constantemente com cargas elevadas – já que são responsáveis por dar suporte as demais regiões físicas – e na maioria das vezes, realizam essa ação de maneira inadequada.

De tanto forçar a musculatura, as articulações, ossos e tecidos, as dores começam a se exibir em pontos específicos, proporcionando incômodos relevantes. Os joelhos são as principais partes acometidas por esse sintoma, onde os desconfortos se tornam ainda mais frequentes e intensos ao dobrar a perna e caminhar.

O que pode ser?

Dores no joelho ao dobrar a perna

Joelho.

Os fatores que provocam as dores nessa região são muitos, porém, os mais constatados são:

» Lesões;
» Artrite;
» Artrose;
» Osteoartrite;
» Tendinite;
» Osteoporose;
» Excesso de peso;
» Contusão;
» Rompimento dos ligamentos;
» Rotura do tendão patelar.

O que fazer?

Assim que os sintomas começarem a surgir, o auxílio médico deverá ser procurado, principalmente se as dores vierem acompanhadas de inchaços, vermelhidão, sensibilidade ao toque, formigamento, febre e dificuldades de locomoção.

Tratamento

A prescrição dos métodos de contenção da patologia serão descritos de acordo com as suas causas evidenciadas no diagnóstico, podendo ser eles o uso de medicamentos, repouso, compressas, homeopatia, fisioterapia e procedimentos cirúrgicos.

Recomendações

» Evite pegar peso e sentar em cadeiras altas.
» Abaixe, sente e levante com a postura correta.
» Tenha sempre um encosto para os pés, principalmente se passar muito tempo sentado.
» Procure não realizar movimentos repetitivos com a região.
» Promova alongamentos ao longo do dia.
» Interrompa a realização de exercícios físicos que force a área até a sua recuperação total.
» Mantenha uma dieta saudável e uma boa quantidade de consumo de água.

Aviso!

Os dados contidos acima são apenas informativos. Para saber mais sobre esse tipo de transtorno, busque orientação médica!

Dores na coluna lombar, o que pode ser?

Sentir dores não é uma característica normal, esse sintoma trata-se de uma das maneiras do organismo mostrar que algo está indo mal em sua estrutura, como uma possível manifestação de doenças.

Uma das partes do corpo bastante atingida por esse desconforto é a coluna vertebral, tendo a lombar como uma das suas áreas mais acometidas. Essa extensão compreende a região mais próxima à bacia, denominada popularmente como “dor nos quartos”.

O distúrbio que promove essa apresentação é chamado na área médica como lombalgia ou lumbago. Essa disfunção que pode ser ocasionada devido a vários fatores, como:

Dores na coluna lombar, o que pode ser?

Representação de dor na lombar enquanto está sentado.
(Foto: Reprodução)

» Má postura;
» Ficar muito tempo na mesma posição
» Traumas
» Lesões
» Envelhecimento precoce
» Falta de proteínas e outros nutrientes
» Hereditariedade
» Inflamações
» Infecções
» Hérnia de disco
» Artrose

Todas as pessoas podem ser acometidas por essa patologia, principalmente os jovens, idosos e o público que trabalha por longos períodos sentado. Seu grau se singulariza entre o agudo e o crônico, onde a frequência dos sinais variam de intensidade, podendo vir a causar sérios danos à saúde do paciente, na maioria dos casos.

Além da dor, outros sintomas que o corpo produz são:

  • Dormência nas pernas
  • Limitação da flexão da coluna
  • Sensação de coluna travada
  • Elevado mal-estar

O que fazer?

Assim que os sinais começarem a aparecer, atrapalhando de forma leve ou mediana a rotina do indivíduo, a ajuda médica deverá ser procurada. Assim, ele será examinado de maneira específica para a constatação das razões que vem provocando o problema.

Diagnóstico

A análise médica é dinamizada através da avaliação clínica, anamnese, ressonância magnética e a radiogafia simples. Busque de preferência o auxílio de um ortopedista.

Observação: Pessoas que sofrem de osteoporose deverão ainda passar por uma densintometria.

Tratamento

Dentre as opções de tratamento mais utilizadas para a contenção dos sintomas, podemos citar o repouso absoluto, uso de medicamentos, suplementação vitamínica e processos cirúrgicos (nos quadros mais graves).

Observação: Quando esse transtorno é apresentado por jovens, é indicado que a investigação do caso seja ainda mais detalhista.

Recomendações

» Correção da postura
» Prática de exercícios físicos regulares (com acompanhamento médico)
» Preferência por dormir em colchões ortopédicos
» Evitar carregar peso
» Não ficar abaixando, deitando e levantando com postura inadequada

Aviso!

Essa matéria trata-se apenas de um informativo. Para saber mais sobre o assunto ou ter um tratamento adequado, procure a ajuda de um bom especialista.

Dores fortes no estômago, vômito e diarreia

O organismo, sempre que tem seu sistema acometido por alguma doença, manifesta sintomas que variam o seu grau de intensidade de acordo com as causas para alertar o indivíduo de que algo está errado. Quando as dores de estômago, a diarreia e vômitos aparecem juntos, possivelmente uma gastroenterite está acometendo a estrutura corporal, promovendo sérios danos.

Essa doença é caracterizada como uma inflamação que atinge os órgãos do sistema gastrointestinal, sendo provocadas pela presença de bactérias, vírus e/ou parasitas nessa região. A aglomeração desses micro-organismos acontece, na maioria dos casos, pelo ar, através de intoxicações alimentares, o contato da boca com a mão e objetos contaminados.

Outros sintomas que costumam se surgir no enfermo quando a gastroenterite o acomete são:

Dores fortes no estômago, vômito e diarreia

Representação de uma pessoa doente.
(Foto: Reprodução)

  • Desidratação;
  • Febre alta;
  • Náuseas;
  • Diminuição ou perda de apetite;
  • Dores corporais – por vezes surgindo como pontadas;
  • Perda de peso.

Ajuda médica

Caso a combinação dos sinais enfatizados acima ocorra, uma unidade hospitalar deverá ser procurada, para que um diagnóstico preciso do quadro do paciente seja realizado, descobrindo assim o seu agente causador para posteriormente ser ministrado o tratamento correto.

Tratamento

Os métodos utilizados para a extinção dos sintomas e a eliminação do micro-organismo vai variar de acordo com as observações médicas, mas, nesses casos, costuma ser frequente o ministramento de remédios orais ou intravenosos.

A mudança alimentar também fará essencial por todo esse período, onde o paciente deverá optar por consumo de produtos saudáveis e mais leves como legumes, verduras, frutas, carnes magras, peixe e frango (sendo os três preparados de forma saudável: cozidos, grelhados ou assados).

Aviso!

Esse texto se faz apenas como um informativo. Para obter um diagnóstico mais específico sobre o seu quadro, procure orientação médica.