Pesquisa revela que carboidratos apodrecem nosso cérebro

Manter uma boa alimentação é muito importante para todos os seres humanos, independente do seu gênero ou idade, os nutrientes contidos nas refeições são essenciais para saciar a fome e viabilizar melhores condições de vida e saúde, sem mencionar na colaboração de uma melhor estética.

Um dos nutrientes relevantes nessa dinamização é o carboidrato, sendo este composto (na maioria dos casos) por carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio, enxofre e/ou fósforo. Em relação a sua classificação, ele pode ser considerado como monossacarídeos, oligossacarídeos e polissacarídeos.

Essa substância orgânica produz articulações essenciais para o organismo humano, funcionando como um potencializador energético e estrutural, mas quando manipulado de maneira inadequada (em excesso) pode vir a ocasionar prejuízos ao corpo, como ganho de peso em pouco tempo.

Pesquisa revela que carboidratos apodrecem nosso cérebro

Carboidratos.
(Foto: Reprodução)

Muitas dúvidas circundam essa propriedade, sendo a mais recente delas a seguinte:

“Carboidratos apodrecem nosso cérebro?”

Bom, segundo as últimas pesquisas levantadas sobre o assunto pelo neurologista americano David Perlmutter, esse dado é completamente verídico, onde afirma que os carboidratos com elevados índices glicêmicos ou “do mal” proporcionam demência aos sistemas nervosos, propiciando o desenvolvimento de diversas enfermidades na extensão cerebral, como o Alzheimer, epilepsia e depressão.

As demonstrações de suas pesquisas alertam que os hidratos de carbono podem deixar o organismo mais propensos a doenças, principalmente quando seu consumo é executado com exageros, afeta o metabolismo, desregulando os níveis de insulina e glicose.

Seus relatos também abordam conclusões de que o corpo necessita ingerir 75% de gordura, mantendo uma taxa de proteínas de 20% e apenas 5% de carboidratos. Mas é preciso destacar que uma dieta rica em gordura também gera transtornos a saúde, como problemas no sistema cardiovascular.

Benefícios de consumo

» Proporcionam energia e maior condicionamento físico.
» Auxiliam na promoção da nutrição celular.
» Diminui o cansaço, a fadiga e a preguiça.
» Melhoram o funcionamento da flora intestinal.
» Deixam a taxa sanguínea de açúcar mais estável.

O que fazer?

O melhor a se fazer nesses casos é buscar ajuda médica de um bom nutricionista, para que através de diagnósticos específicos seja articulado uma dieta ou reeducação alimentar adequada.

Você sabia que dormir demais é mais prejudicial que dormir de menos?

As pesquisas sobre os hábitos diários dos seres humanos vem sendo dinamizadas com muita frequência todos os dias em várias partes do mundo, tudo isso em prol de saber o que é realmente bom ou ruim para a saúde. Um dos assuntos que vem sendo bastante questionado é o sono, o seu desenvolvimento e sua duração.

Muitos afirmam que dormir pouco tempo é prejudicial, mas o que não sabem é que dormir muito também promove danos ao organismo. Esse dado foi levantado em análises recentes nos EUA, no Centro de Transtornos do Sono da Faculdade de Medicina da Universidade de Massachusetts.

Um dos especialistas responsáveis por essa observação é o Gregg Jacobs. Ele e sua equipe articularam aproximadamente 34 pesquisas com estudos epidemiológicos em milhares de pessoas para fazer a interligação entre mortalidade e quantidade de horas de sono, descaracterizando a necessidade de 8 horas, passando esse número para 7 horas de duração.

Quando essa taxa é menor ou maior, propicia alterações em todo o organismo, fazendo com que ele venha a apresentar a curto, médio ou longo prazo diversos tipos de transtornos, como pressão alta, disfunções cardiovasculares, diabetes, etc.

Você sabia que dormir demais é mais prejudicial que dormir de menos?

Mulher dormindo.
(Foto: Reprodução)

Profissionais da área da saúde alertam que um ser humano adulto deve dormir entre 6 à 8 horas e dizem que essa variação acontece porque nenhum organismo funciona da mesma maneira que o outro, onde cada indivíduo possui suas próprias necessidades.

Observação: O grande fator que realmente importa nesse processo é a qualidade do sono, sendo ele mais natural e eficaz para o cérebro.

Para garantir boas noites de sono, é essencial que novos hábitos sejam aderidos na rotina, como:

Comer fracionadamente (a cada 3 horas), em pouca quantidade, mastigando bem todos os alimentos.

Investir no consumo de alimentos naturais e que tenham taxas relevantes de nutrientes, como verduras, frutas, legumes, oleaginosas, fibras, proteínas, produtos integrais, etc.

Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e gaseificadas, sódio, alimentos industrializados, frituras, peles de frango, gordura e açúcares.

Beber entre 2 à 3 litros de água diariamente, de preferência no intervalo das refeições.

Diminuir os níveis de estresse.

Não consumir produtos que contenham cafeína em sua composição após às 18 horas da noite e qualquer outro produto estimulante.

Deixar o quarto bem arejado, silencioso e confortável para estimular o sono.

Retirar do ambiente todos os atrativos que possam atrapalhar o indivíduo a dormir, como televisão, som, desligar a internet do telefone ou colocá-lo no silencioso, etc.

Como terminar com as brigas nos relacionamentos

Não existe nada pior do que aquele clima tenso e chato com o seu amor, ainda mais quando essas reações são ocasionadas por brigas sem fundamentos, promovidas pelo mau humor, discordâncias de opiniões, “ciuminhos infantis” e outros fatores insignificantes.

Os desentendimentos constantes desgastam relacionamentos de maneira intensa em um prazo muito curto, resultando em traições entre o casal, falta de amor e separação. Por essas e outras razões, é extremamente importante que essa rotina de conflitos seja evitada.

Para prevenir essa maré ruim é necessário que os parceiros sejam sempre cúmplices um do outro, respeitem-se e acima de tudo exerçam a amizade em conjunto com o amor. As medidas mencionadas a seguir ajudarão a evitar as briguinhas bobas e resolver os problemas de casais que surgem no cotidiano. Aproveite todas elas e comece a colocá-las em prática o quanto antes!

Todas as brigas resultam em corações partidos.

Coração partido (Foto: Reprodução)

Mantenham sempre um diálogo, afim de deixar tudo esclarecido ao invés de guardar mágoas e mencioná-las quando estiverem explosivos.

Procurem conversar e não brigar. A calma é um fator que poderá ajudar na resolução de problemas.

Evitem todo e qualquer tipo de insulto, mesmo os leves, certas palavras ferem mais que uma agressão.

Tente controlar todos os tipos de impulsos durante a conversa, mantendo o tom de voz equilibrado (se possível), gritos não ajudam em nada, pelo contrário, provocam ainda mais estresse.

Não faça comparações, não diga o “eu te disse” ou “eu te avisei”. Tudo isso só irá piorar as coisas. Cada um sabe o erro que comete e sofre com isso.

Evite ao máximo falar mal da família dele/a ou das pessoas que fazem parte do seu cotidiano há anos. Isso fará com que a briga se estenda ainda mais e que os ânimos fiquem a flor da pele.

Aceite os defeitos do outro e conversem sempre sobre como resolver essas diferenças, ninguém é perfeito.

Antes de reclamar do outro, se coloque no lugar e analise suas próprias atitudes.

Lembre-se sempre que nem todas as suas prioridades são tão importantes assim como parecem.

Não façam “barracos” na frente de ninguém. Evitem expor a vida íntima, roupa suja se lava em casa.

Confie no seu amor e sinta-se sempre seguro/a dos seus sentimentos. Assim o ciúmes ficará mais contido.

Comecem uma conversa tentando resolver o problema e resolva-o. Caso contrário a breve “discussão” será em vão.

Deixe o orgulho de lado e mantenha a mente mais aberta. Assuma os seus erros e aceite as opiniões do outro.

Antes de começar o diálogo, pense bem em tudo o que irá falar e o que deseja com tudo isso.

Trabalhe o emocional para aceitar desculpas e também para pedi-las sempre que necessário.

Malefícios da mistura de drogas

O uso de drogas lícitas e ilícitas é considerado cada vez mais alarmante no mundo, as pessoas estão começando a aderir sua manipulação ainda muito jovens, com muita frequência e intensidade. Seus danos quase sempre são irreversíveis, colocando em risco a vida de milhares de indivíduos.

Um dos pontos que vem chamando a atenção de profissionais da área da saúde na atualidade é como essas substâncias são misturadas para utilização, para que assim consigam proporcionar uma maior sensação de prazer aos seus usuários.

Essa nova aderência é denominada como “coquetéis de drogas”. Dentre as junções desses compostos, podemos citar a cocaína com álcool, anfetaminas com ecstasy e viagra, viagra e quetamina, ecstasy com cocaína, fentanil e heroína, LSD com cocaína e maconha, entre outras múltiplas conjunções alucinantes.

Malefícios da mistura de drogas

O mundo pede socorro em relação ao o uso de drogas.
(Foto: Reprodução)

A facilidade com que esses componentes são vendidos (com relevâncias em festas) é uma das razões que propiciam o aumento de dependentes e a elevação de gravíssimos danos a saúde, como:

» Overdose
» Enfisema Pulmonar
» AIDS
» Cirrose
» Depressão
» Cânceres
» Endocardite infeciosa
» Comprometimento cerebral
» Insuficiência renal

No momento da badalação nenhum dos usuários se importam com os malefícios que as drogas podem causar ao corpo. Alguns dão a justificativa que somente com essas substâncias se sentem sociáveis e que não abririam mão de nenhuma de suas combinações. O grande problema é que tais ações ocasionam milhares de óbitos e infelizmente as pesquisas revelam que com o passar dos anos, isso se tornará muito pior. 

No Brasil, as drogas lícitas são legais, mas sua venda não é autorizada para indivíduos menores de 18 anos de idade; já as ilícitas são ilegais e proibidas por lei. Bom, isso tudo é o que o comércio diz, mas não impede a dinamização de ambas de uma maneira muito fácil.

Para se ter ideia de como suas comercializações estão exacerbadas, existem sites da internet vendendo esses produtos, fazendo até mesmo o seu parcelamento. Mesmo com muitas campanhas, palestras e medidas prisionais, a utilização dos coquetéis vem crescendo em grande escala, informação que preocupa famílias, entidades e órgãos de todo o planeta, todos estão expostos a essa dependência química de alguma forma.