Como evitar as espinhas e cravos no rosto

Um dos distúrbios que acometem a pele, deixando sua superfície com um aspecto desfavorável para a estética corporal, são as acnes. Enfermidade que provoca o aparecimento de folículos pilosos (espinhas e cravos) na parte externa do organismo, com mais relevância nas regiões “oleosas”, como o rosto.

A área facial geralmente possui algumas alterações em suas glândulas sebáceas (podendo ser elas de origem genética ou hormonal), fazendo com que o local produza um excesso de oleosidade, deixando toda a área mais propensa a manifestação desses transtornos.

As pessoas mais acometidas pelas acnes possuem entre 11 à 30 anos. Em alguns indivíduos a sua presença é tão pequena, que é considerada por eles irrelevante; já em outros, é essencial que o acompanhamento dermatológico ou truques sejam manipulados diariamente para diminuir a quantidade dos “pontinhos”.

Dicas para evitar as espinhas e cravos no rosto

Pele oleosa.
(Foto: Reprodução)

Abaixo veremos algumas dicas que poderão te ajudar a controlar, evitar e tratar o aparecimento de cravos e espinhas, mas antes disso, vale um conselho: não esprema suas espinhas, poderá provocar cicatrizes pelo corpo, deixando-o por vezes com um visual feio.

» Mantenha sempre uma excelente higienização da face, para diminuir os níveis de oleosidade.

» Prefira manipular no rosto produtos que são livres de óleo, a base de camomila, argila verde, aveia, enxofre, ácido salicílico ou ácido glicólico.

» Opte por comprar hidratantes, filtros solares e maquiagens mais leves que mantenham a pele seca.

» Limpe bem a região infectada e retire a maquiagem, lembrando que não é recomendado dormir com esses produtos na face, eles podem promover excesso de oleosidade e irritações.

» Mantenha uma alimentação saudável e evite o consumo de alimentos com alto teor de gordura e ricos em glicose.

» Prefira lavar o rosto com água gelada.

» Faça uma esfoliação facial sempre que sentir a pele muito oleosa ou desidratada.

» Proteja sempre a sua pele, evitando exposição ao sol entre às 10 horas da manhã e às 16 horas da tarde.

Atenção!

Em quadros mais graves, é necessário o uso de medicamentos orais (antibióticos e anti-inflamatórios) em gel ou creme, devendo estes serem prescritos por profissionais da área da saúde.

Dicas para evitar o estresse excessivo

Um dos desconfortos que acometem a estrutura emocional e física dos seres humanos é o estresse, sentimento que gera uma mistura de sensações, contendo insegurança, medo, preocupações, tristeza, impaciência e lapsos de raiva. Essa disfunção é classificada pelos médicos como “inevitável” em certos momentos da vida.

O grande problema dessa reação mental (e por vezes corporal), é o seu acúmulo, fazendo com que se torne um distúrbio excessivo, ou seja, constante, frequente e intenso. Suas causas costumam estar interligadas ao trabalho, obrigações ou problemas familiares, ansiedade, relacionamentos, pressões, problemas de saúde, entre outros fatores.

Quando o estresse atinge esse estágio, gera inúmeras dificuldades e tormentos para a vida do seu enfermo, que pode vir a manifestar os sintomas a seguir quando as crises se fazem presentes:

Dicas para evitar o estresse excessivo

Homem irritado.
(Foto: Reprodução)

  • Tontura
  • Tremores
  • Sudorese
  • Respiração acelerada ou ofegante
  • Batimento cardíaco acelerado ou fora do ritmo
  • Boca seca
  • Dores abdominais
  • Cefaleias
  • Desgaste constante
  • Dificuldade de concentração
  • Formigamento
  • Nervosismo
  • Sensação de cansaço
  • Hipertensão
  • Tensão ou dor muscular
  • Mudança de apetite
  • Problemas para adormecer
  • Perda de controle das suas atitudes

O que fazer?

Assim que os incômodos começarem a se apresentar descontroladamente, a ajuda médica deverá ser procurada o mais rápido possível, com relevância nos quadros em que o indivíduo manifestar lembranças de eventos traumáticos, medos incontroláveis, pânico e os sintomas descritos acima.

Os métodos de tratamento utilizados para controlar o estresse, variam de acordo com o diagnóstico médico executado e as condições de saúde mental e física do paciente. Modificações nos hábitos de vida, uso de medicamentos, sessões de terapia, dieta balanceada e saudável, diminuição do uso cafeína, drogas lícitas e ilícitas são algumas das prescrições dos profissionais da área da saúde para conter essa disfunção emocional.

Fatores de risco

  • Depressão
  • Síndrome do pânico
  • Distúrbio de ansiedade
  • Transtorno por estresse pós-traumático
  • Transtorno obsessivo compulsivo

Dicas de prevenção

Evitar as crises de estresse é a melhor maneira de se ver longe dos desconfortos que esse transtorno emocional produz. Se você deseja controlar ou ajudar alguém nisso, confira abaixo algumas recomendações favoráveis:

 Identifique quais são as causas do seu estresse e evite manter contato com elas.

 Tire dias de folga para descansar. Se possível, viaje para um lugar tranquilo e sem a presença de pessoas que possam te tirar do sério.

 Evite todos os tipos de tensões.

 Procure equilibrar suas atividades profissionais e obrigações familiares para diminuir os nível de pressão.

 Não faça consumo de remédios ou drogas que contenham substâncias “viciantes” e que de alguma maneira ativam ou amenizam seu estresse.

 Realize diariamente opções de entretenimento que distraia sua mente.

 Durma bem.

 Pratique exercícios físicos diários ou alguma modalidade de esporte, isso poderá ajudar a diminuir seus níveis de energia e estresse.

Aviso!

Os dados contidos nesse artigo servem apenas para pesquisa. Caso necessite de mais informações ou orientações específicas, procure ajuda médica.

Como evitar o vício cibernético?

A internet vem sendo uma das principais ferramentas utilizadas por indivíduos do Brasil e do mundo para a realização de várias práticas de acesso, com isso, o seu manuseio vem aumentando cada vez mais, deixando alguns de seus usuários completamente dependentes desse convívio.

O uso demasiado das redes virtuais causa vício e dependência, assim como o uso de drogas lícitas e ilícitas. Por isso várias palestras e projetos vem sendo criados e articulados na sociedade para discutir sobre a importância de se ter um controle de acesso cibernético, principalmente das crianças e adolescentes, que são os indivíduos que se fazem mais interligados nesse meio.

Os primeiros sinais que uma pessoa manifesta quando está começando a se viciar são:

Dicas para evitar e tratar o vício cibernético.

Sintomas que se manifestam em pessoas dependentes da internet.
(foto: divulgação)

» Exclusão;
» Ter mais vínculos virtuais com as pessoas do que pessoalmente;
» Evitar ir para locais que não possuam acesso a internet;
» Ficar irritado quando fica mais de meia hora sem ter acesso a internet;
» Mentir sobre o tempo que passa conectado;
» Ir mal na escola, no trabalho ou não conseguir executar atividades devido ao uso da internet;
» Não ter motivação para realizar atividades que não estejam ligadas ao acesso virtual;
» Só falar sobre assuntos de internet;
» Baixa autoestima;
» Se sentir solitário quando não está conectado;
» Ficar mais de 10 horas online por dia;
» Desobedecer os pais quando solicitam a diminuição do uso da internet;
» Ir a lan houses com muita frequência;
» Ficar o tempo todo com o celular conectado a internet;
» Deixar de lado todo e qualquer tipo de atividade que gostava anteriormente para ficar acessando a internet.

Dicas para prevenir e controlar a dependência cibernética:

» Estipule um tempo para se conectar diariamente na internet, diminuindo-a gradativamente para que ela não se torne tão necessária;
» Desligue o computador e a internet de aparelhos eletroeletrônicos sempre que for dormir, estiver trabalhando ou estudando, para que não desvie o foco das suas atividades e durma melhor;
» Quando precisar conversar com alguém , procure fazer ligações ou marcar encontros pessoalmente;
» Não fique atualizando as redes sociais de 5 em 5 minutos, estipule horários para fazer essa atividade diariamente;
» Sempre que puder, prefira fazer pesquisas de colégio ou da faculdade em bibliotecas;
» Procure realizar atividades onde existam interações sociais sem o uso da internet;
» Passe uns dias sem se conectar a internet, mesmo que seja difícil. Isso poderá cortar alguns vínculos;
» Se a internet é utilizada como seu principal meio de trabalho, procure fazer o seu uso apenas durante o seu expediente;
» Peça ajuda a família, aos amigos e até mesmo a médicos para controlar o acesso que vem se tornando demasiado;
» Participe de terapias, sessões psicológicas e  psicoterápicas;
» Procure novas atividades para praticar, como esportes, a dança, etc.

Observação: é importante que a família e os amigos do enfermo participem do tratamento quando for contatada a dependência, para que deem força e incentivo ao indivíduo, reprimindo ainda as suas atitudes inadequadas.

O que podemos fazer para evitar que o solo sofra erosão?

A erosão do solo é classificada pelo processo de deslocamento das rochas e da terra que se encontram na superfície terrestre, podendo vir a ser produzidas por ações da natureza e também pelos seres humanos. Devido as práticas econômicas e outros demais fatores, essa circunstância está sendo cada vez mais preocupante no Brasil e no mundo.

Causas

Em relação as ações da natureza, podemos constatar como o causador principal das erosões, a chuva, isso porque ela é capaz de provocar deslizamentos, mudanças na consistência do terreno e infiltrações quando se dão em grande quantidade ou com muita frequência. Posteriormente, podemos citar a mudança de temperatura, a composição química da terra e o vento, como fatores que ajudam a promover o acontecimento desse processo.

Erosão do solo: causas, prejuízos, perigos e métodos de contenção.

Representação da erosão do solo.
(Foto: Reprodução)

Observando as ações dos seres humanos, podemos citar diversos conceitos praticados que ocasionam a erosão, sendo os principais deles as intensas atividades de mineração e a retirada da cobertura vegetal da terra. Ambos processos provocam a desestruturação e a diminuição da sustentação do solo, dando mais chances para o aparecimento de infiltrações e instabilidades no território.

Perigos e prejuízos

As erosões vem causando vários transtornos e, os seus deslizamentos são os que mais vem provocando alardes, isso porque se dão em regiões habitacionais, onde moram várias pessoas carentes, causando muitas mortes devido ao soterramento, sem mencionar na perda das casas, fazendo com que os sobreviventes fiquem desabrigados.

Esse processo ainda provoca grandes prejuízos econômicos, pois costumam atingir rodovias e várias outras vias de transporte, fazendo com que elas fiquem bloqueadas por vários dias, impossibilitando a passagem dos condutores de veículos.

Métodos utilizados para conter a erosão

» Reflorestamento de áreas devastadas;
» Monitoramento constante do solo, com mais relevância onde existem encostas;
» Melhores planejamentos de construções, para evitar os deslocamentos de terra;
» Proibição da retirada das coberturas vegetais, principalmente em áreas montanhosas;

Como evitar o transtorno bipolar

Se diz como transtorno bipolar, o distúrbio que acomete os indivíduos, fazendo com que eles alterem o humor por um período (podendo ser longo ou curto), levando-os a extremos momentos de felicidade e irritação em um curto espaço de tempo.

Essa oscilação acomete homens e mulheres de várias idades, mas costuma se dar com mais frequência entre 15 à 25 anos. Suas causas ainda são desconhecidas, mas psicólogos acreditam que os principais desencadeadores desse transtorno são as mudanças que acontecem na vida, períodos de insônia, o uso de medicamentos e de drogas, sejam elas lícitas ou ilícitas.

Classificação da bipolaridade

» Tipo I ou depressão maníaca: indivíduos que apresentam ao menos um episódio maníaco com períodos de depressão profunda;

» Tipo II ou hipomania: os indivíduos nunca apresentam episódios maníacos completos, mas sim níveis elevados de impulsividade e energia

» Tipo III ou ciclotimia: indivíduos com oscilações menos graves, variando entre ataques hipomaníacos e estados de depressão leve.

Sintomas

Os sintomas podem se apresentar por poucos dias ou por meses.

Transtorno bipolar

O transtorno bipolar tem como a principal característica, a alteração repentina de humor. (Foto: Reprodução)

  • Pouco controle de temperamento;
  • Promiscuidade;
  • Gastos excessivos;
  • Hiperatividade;
  • Distração;
  • Menor capacidade de discernimento;
  • Redução do sono;
  • Compulsão;
  • Fala em excesso;
  • Pensamentos acelerados;
  • Aumento de energia;
  • Agitação;
  • Irritação;
  • Alta auto-estima.

Sinais da fase depressiva

  • Dificuldade em se concentrar;
  • Medo e insegurança em tomar decisões;
  • Fadiga;
  • Falta de energia;
  • Aumento do apetite junto ao ganho de peso;
  • Perda do apetite e de peso;
  • Tristeza;
  • Desanimo;
  • Baixa auto-estima;
  • Excesso ou falta de sono;
  • Isolamento;
  • Pensamentos de suicídio e morte;
  • Perda de interesse na realização de atividades.

Ajuda médica

Procure ajuda médica, assim que começar a manifestar os sintomas descritos acima com certa frequência. É importante que esse distúrbio seja diagnosticado em sua fase inicial devido os males a doença acomete nos indivíduos.

Tratamento

O tratamento dos pacientes se dão de acordo com a gravidade do quadro do indivíduo. Os médicos costumam criar métodos para controlar os sintomas, colaborando assim para uma melhora natural, reduzindo gradativamente os quadros de bipolaridade.

Quando a doença se faz de maneira um pouco mais avançada, medicamentos, terapia eletroconvulsiva e estimação magnética transcraniana, poderão ser ministrados pelo médico.

A psicoeducação, isto é, a educação sobre o transtorno bipolar, ajuda muito as famílias a lidar com a situação de um dos seus parentes, onde se fazem completamente necessários para a melhora do quadro do indivíduo.

Considerações finais

É importante ressaltar que o tratamento não deve ser interrompido, para que o transtorno não se agrave ainda mais. Não existem métodos para prevenir a bipolaridade, por isso é essencial ficar atento as alterações que esse distúrbio proporciona.