Saiba quais doenças são provindas de uma má alimentação

A facilidade de encontrar estabelecimentos com alimentos altamente calóricos, mercadorias industrializadas repletas de conservantes, corantes, agrotóxicos e outras substâncias é enorme nos tempos atuais e por essa razão, a saúde de milhares de pessoas vem sofrendo prejuízos a curto, médio e longo prazo.

Os maus hábitos alimentares e o sedentarismo são os dois fatores que mais interferem no bem-estar dos indivíduos, prova disso é que quem articula ambas particularidades de maneira inadequada vem sentindo os efeitos na “pele”, através do ganho de peso, menor desempenho físico, cansaço demasiado e queda da imunidade.

Parece banal ou até mesmo um mito, mas a alimentação pode vir a ser um dos principais motivos da manifestação de doenças no organismo, porque quem não come bem, pula refeições e abusa das quantidades diminui a disponibilidade de ricos nutrientes para a estrutura corporal, sendo essas propriedades essenciais para o seu bom funcionamento e manutenção.

Dentre as enfermidades mais destacadas nesse processo, podemos citar:

Saiba quais doenças são provindas de uma má alimentação

Sanduíche super calórico.
(Foto: Reprodução)

Obesidade;
Pancreatite;
Colelitíase;
Colecistite;
Cancro;
Colesterol elevado;
Hipertensão;
Diabetes;
Anemia;
Desnutrição;
Hepatite aguda;
Osteoporose;
Prisão de ventre;
Cirrose hepática;
Cárie e problemas dentários;
Gastrite aguda e crônica;
Doenças cardiovasculares, do sistema nervoso e psíquico.

É importante que todas as pessoas fiquem atentas as modificações apresentadas pelo corpo e não achar normal os incômodos que se manifestam, mesmo que seja “de vez em quando”. Estar acima do peso e comer descontroladamente são dois dos sintomas mais constatados nos casos acima, mas todo e qualquer desconforto deve ser considerado, como dor de dente, mal-estar, baixa autoestima, palpitações, dor abdominal, dificuldade em evacuar, etc.

Atenção!

Outras causas também podem estar associadas aos distúrbios descritos acima, portanto, procure ajuda médica assim que os primeiros sintomas surgirem para que o tratamento seja dinamizado precocemente, diminuindo os danos e efeitos colaterais no organismo.

Dicas

Mesmo que nenhum desconforto esteja aparente, que tal mudar os hábitos? Siga as recomendações a seguir do Fiapo de Jaca e analise como a sua vida irá mudar para melhor em poucos dias!

Coma fracionadamente, de três em três horas;
Beba bastante água ao longo do dia;
Durma bem;
Pratique exercícios físicos regularmente;
Mantenha uma boa higienização de toda a estrutura corporal, principalmente da região bucal;
Evite o consumo de produtos industrializados, bebidas alcoólicas e gaseificadas, carboidratos com elevado índice glicêmico, sódio, frituras, pele de frango, gordura, açúcares;
Opte por ingerir alimentos naturais, frutas, verduras, legumes, proteínas, fibras, carboidratos com baixo índice glicêmico, oleaginosas, integrais.

Os riscos de ser “beijoqueiro” no Carnaval

O Carnaval é uma das festividades anuais mais animadas do mundo e não é novidade que a “pegação” rola solta pelas ruas das cidades nesse período, pessoas de várias idades, culturas, gostos e gêneros se misturam e se divertem com toda intensidade!

Para quem gosta de estar presente nesses eventos e é um “beijoqueiro de plantão“, aqui vai um alerta: existem riscos de saúde para quem pratica o beija-beija sem parar! Segundo o levantamento de especialistas, essa ação é emocionante, mas promove a troca de mais de 250 bactérias, um dos fatores que podem vir a ocasionar a manifestação de doenças.

Durante as comemorações carnavalescas, os organismos ficam ainda mais propensos ao contágio de enfermidades, seus sistemas imunológicos se apresentam mais fragilizados devido ao contato exagerado com bebidas alcoólicas, sol quente, má alimentação, pouco consumo de água, etc.

Os riscos de ser "beijoqueiro" no Carnaval

Casal se beijando.
(Foto: Reprodução)

Dentre as disfunções transmitidas pelo beijo na boca, podemos citar:

Cárie
Gengivite
Mononucleose
Herpes labial
Sífilis
 HIV/Aids

A saliva é descrita como o mais relevante meio condutor dessas patologias, consegue conduzir os parasitas de um ser para o outro com extrema rapidez. Não importa se é selinho, beijo técnico ou de língua, o risco exposto é o mesmo, principalmente em pessoas com pequenas feridinhas na boca ou nos lábios, a troca de fluídos é ainda mais intensa.

O que fazer?

Visualmente não dá para identificar se o indivíduo é portador ou não de doenças, por isso, o mais indicado nesses casos é ter bom senso e ficar atento a alguns detalhes como: o mau-hálito, feridas nos lábios, cor da gengiva e como o flerte está se comportando na festa (se já beijou muito ou se é mais tranquilo, etc).

Alerta

É essencial destacar que não somente o beijo pode vir a promover a transmissão dessas e de outras doenças, mas também o compartilhamento de objetos pessoais, tosses e espirros. Se logo após as festinhas sintomas como mal-estar, dor de cabeça e/ou de garganta, febre, ínguas ou alterações nos lábios começarem a se manifestar, a ajuda médica deverá ser procurada rapidamente. Portanto, fique atento!

Como funciona o desenvolvimento de doenças mentais

As doenças mentais se tratam de complicações psiquiátricas que afetam os indivíduos com algum tipo de anormalidade, podendo esses distúrbios promoverem sofrimento e/ou comprometimento das funções mentais e psicológicas. Levantamentos revelam que cerca de 20% de toda a população mundial, em algum momento da vida, pode ser acometida por uma das disfunções que englobam esse conceito.

A Secretaria Municipal de Saúde do Brasil criou o Caps (Centros de Atenção Psicossocial) que dinamiza atendimentos específicos para esse público, mas somente esse sistema não vem comportando a quantidade de pacientes que necessitam de apoio, processo que vem causando sobrecargas ambulatoriais e hospitalares.

Causas

Como funciona o desenvolvimento de doenças mentais

Cérebro humano, um dos órgãos mais importantes do corpo.
(Foto: Reprodução)

Não existe uma razão específica para a manifestação das doenças mentais, porque elas se resultam da combinação de diferentes fatores, como as condições genéticas (hereditariedade), conflitos internos e externos, problemas na gestação ou no nascimento do feto, uso de medicamentos, drogas ilícitas e/ou lícitas, estresse, perda considerável de algo ou alguém, etc.

Desenvolvimento

Anteriormente, pouco se sabia sobre esse tipo de enfermidade, mas de algumas décadas para cá, inúmeras pesquisas vem sendo promovidas em várias partes do planeta para executar o tratamento dos indivíduos que se encontram nessas condições, possibilitando a eles melhores condições de articulação consigo e com todos a sua volta.

O mundo moderno está sempre em constante mudança, com excessos de trabalho, atividades, entre outros demais acontecimentos que vem desestabilizando o psicológico de muitos de nós. Acredita-se que esse seja um dos motivos causadores do aumento da incidência desses transtornos.

Doenças mentais mais comuns

Depressão

» Principais sintomas: isolamento, tristeza profunda, apatia, desmotivação, falta de ânimo e perda de interesse.

Bipolaridade

» Principais sintomas: alterações frequentes de humor, diminuição e elevação de energia, entre outros aspectos parecidos com a depressão.

Distúrbio do pânico

» Principais sintomas: agitação, palpitações, sudorese, ansiedade intensa, falta de ar e dores no peito.

Ansiedade generalizada

» Principais sintomas: crises de preocupação, nervosismo, estresse, náuseas, mãos frias e úmidas, boca seca, medo, diarreia e sensação de falta de ar (asfixia).

Esquizofrenia

» Principais sintomas: pensamento desorganizado, delírios, alucinações, insensibilidade emocional, apatia, fala monótona e isolamento.

Onde procurar ajuda?

Os Caps são as melhores entidades de atendimento nesses casos, mas se nenhuma das suas sedes forem encontradas nas proximidades, uma unidade de atendimento hospitalar (pronto socorro) deverá ser procurada. Quanto antes a busca desse auxílio for promovida, menos danos serão causados a saúde do enfermo.

Curiosidade

Muitas pessoas desenvolvem essas disfunções devido o contato direto com as drogas. Tanto as ilícitas, quanto as lícitas que provocam dependência química e por consequência várias lesões e sequelas ao cérebro.

Aviso!

Todas as informações contidas nessa matéria são de inteiro uso para pesquisas e um melhor entendimento sobre o assunto. Para maiores orientações, procure ajuda médica!

A importância de sorrir, para a saúde

O sorriso é uma das principais reações que o nosso corpo manifesta quando estamos felizes, simplesmente quando algo de bom acontece ou apenas porque nos sentimos bem conosco e com o mundo que nos rodeia. Mesmo sendo uma atitude tão fácil e espontânea, algumas pessoas sentem dificuldades em realizá-la e acabam perdendo com isso.

De acordo com os últimos levantamentos promovidos por especialistas de várias partes do mundo, a prática de sorrir implica muito na saúde humana, isso porque consegue promover benefícios tanto para o estado emocional, quanto mental e físico, através da estimulação que produz no cérebro o sorriso ajuda na liberação da endorfina e da serotonina.

Ambos hormônios são extremamente confortantes, agradáveis e projetam sensações de prazer para todo o organismo. Observando as vantagens gerais das gargalhadas, podemos citar:

» Fortalecimento do sistema imunológico

A importância de sorrir, para a saúde

Mulher sorrindo.
(Foto: Reprodução)

» Redução dos níveis de estresse, ansiedade e insegurança

» Melhora na digestão

» Diminui os riscos de adquirir a depressão

» Ajuda a controlar a pressão arterial

» Evita a manifestação de dores corporais

» Sensação de bem-estar

» Elevação da autoestima;

» Mais vitalidade

» Melhora no funcionamento do sistema cardiovascular e respiratório

Todos sabemos que é impossível estar alegre o tempo todo, a vida nos reserva algumas surpresas desagradáveis, outras vezes nos coloca em situações difíceis de sair ou superar, mas não devemos nunca deixar que a tristeza nos aflija com intensidade, muito menos com frequência.

Quanto mais nos prevenimos do mau humor e de sentimentos ruins, nos tornamos melhores, não somente para com os indivíduos que nos rodeiam, mas com o nosso interior, por isso a felicidade deve estar sempre sendo vivenciada dentro e fora de nós.

Caso esteja passando por uma etapa mais árdua, tente resolver um probleminha de cada vez, se afaste de tudo aquilo que não de faz bem, foque nos seus objetivos, pratique exercícios físicos, mantenha uma boa alimentação, mude o visual, conheça novos lugares, faça novas amizades, volte a realizar atividades que sempre gostou (como ouvir música, ler, etc) e sinta-se bem com a sua própria companhia.

Um sorriso verdadeiro é a cura de qualquer enfermo!

Doenças transmitidas através do beijo

O beijo é considerado um dos contatos íntimos iniciais entre os seres humanos, processo que promove demonstração de afeto, carinho, química e atração. Esse toque de lábios – e por vezes da língua – ocasiona a movimentação de vários músculos da face, a queima de calorias e também o contato com milhões de bactérias.

Devido a esse elevado número de micro-organismos, um alerta surge para os “beijoqueiros” (pessoas que trocam essa modalidade de carícia com pessoas desconhecidas): a transmissão de doenças. Não analise esse dado como algo inviável, todos os anos muitos indivíduos são contagiados por várias enfermidades através desse simples gesto, com relevância no carnaval.

A grande preocupação das organizações de saúde (como a OMS) sobre esses casos, é que a maioria das DST’s (doenças sexualmente transmissíveis) também podem ser passadas pelo beijo e sua decorrente salivação, principalmente se o enfermo possuir feridas na boca, aftas ou cáries.

Doenças transmitidas através do beijo

Jovens se beijando.
(Foto: Reprodução)

Dentre os distúrbios mais diagnosticados nos consultórios médicos, os que podem ser destacados pela prática desse ato e que merecem constante atenção são:

» Aids: doença causada pelo vírus HIV, que proporciona a diminuição gradativa das defesas do organismo, deixando o sistema imunológico enfraquecido, dando oportunidade para que transtornos abalem sua estrutura, podendo levar o paciente a óbito. Não tem cura.

» Gengivite: inflamação causada pela forte aglomeração das bactérias na região bucal, geralmente propiciando o surgimento de tártaro.

» Herpes labial: doença causada pelo vírus da herpes que produz o aparecimento de feridas com dor e coceira na boca (sintomas que aparecem de tempos em tempos, com mais intensidade no verão). Não tem cura.

» Mononucleose: doença causada pelo vírus Epstein-Barr, sendo a principal das enfermidades presentes nos beijoqueiros. Esse micro-organismo produz sintomas muito incômodos (como febre, dor de garganta e ínguas na área do pescoço), podendo promover sérias complicações, como a meningite.

» Sífilis: doença causada pela bactéria Treponema pallidum, classificada pelos médicos como um transtorno consideravelmente grave, podendo levar a origem de lesões corporais, doenças renais, meningite, gastrite, alterações na visão, hepatite, proctite, colite ulcerativa, etc.

O que fazer?

Em relação a esse problema, existem apenas três únicas coisas que um indivíduo possa fazer: evitar, controlar ou tratar as doenças. Portanto, procure manter uma relação monogâmica ou beijar apenas pessoas de confiança. Caso já tenha sido acometido por alguma das enfermidades citadas acima, procure ajuda médica e realize o tratamento corretamente.