Dor perto do estômago lado esquerdo

As dores que se manifestam no abdômen, do lado esquerdo do corpo, próximo ao estômago, costumam representar um sinal da pancreatite aguda, doença que provoca o inchaço e a inflamação do pâncreas, órgão que participa da regulação de atividades metabólicas e da porção externa secreta das enzimas digestivas, tendo como suas principais funções a produção hormonal e enzimática.

Essa enfermidade acomete com mais frequência os homens do que as mulheres, devido aos maus hábitos de vida que grande parte deles possuem.

Causas

Os principais fatores que provocam essa doença em sua fase aguda são:

» Uso de álcool;
» Problemas autoimunes;
» Deformação de pequenos cálculos biliares;
» Bloqueio do fluxo das secreções pancreáticas;
» Aumento da glândula pancreática;
» Acúmulo de líquido no pâncreas;

Já em condições crônicas, as principais causas são:

» Alcoolismo;
» Alterações no parênquima pancreático, como a fibrose e o endurecimento;
» Atrofia do pâncreas;
» Dilatação do duto pancreático (canal de Wirsung);

Pancreatite: causas, sintomas, tratamento e prevenção

Abdômen de uma mulher.
(Foto: Reprodução)

Sintomas

Agudos

» Dor abdominal intensa;
» Náuseas;
» Vômitos;
» Icterícia.

Crônicos

» Sintomas da pancreatite aguda;
» Diarreia;
» Diabetes;
» Inchaço;
» Hemorragias;

Diagnóstico

A confirmação da enfermidade e a constatação do seu grau de gravidade se dá através de análises clínicas, anamneses, exames de sangue, raios X e ultrassom abdominal.

Ajuda médica

Assim que os sintomas começarem a se manifestar, a ajuda médica deverá ser procurada. Quanto mais rápido esse procedimento for realizado, assim como o diagnóstico e o tratamento do indivíduo, menos danos o pâncreas terá, diminuindo as possibilidades de hemorragias e a morte do paciente.

Tratamento

Os métodos utilizados irão variar de acordo com as causas constatadas e o grau da doença, podendo se dar com o uso de medicamentos, interrupção de alimentos ou líquidos pela boca para limitar a atividade do pâncreas, sucção nasogástrica, terapias, drenagens, remoção dos cálculos biliares, cirurgia para a retirada do tecido pancreático infeccionado ou morto.

Complicações possíveis

» Acscite;
» Cistos;
» Insuficiência cardíaca;
» Pressão arterial baixa;
» Abscessos no pâncreas;
» Insuficiência renal aguda;
» SDRA (Síndrome do desconforto respiratório agudo);

Prevenção

» Pouco ou nenhum consumo de bebidas alcoólicas;
» Manter o cartão de vacina em dias;
» Não fazer uso de medicamentos sem prescrição médica, principalmente de aspirinas;

Recomendação

Assim que a enfermidade for descoberta, é essencial que o paciente abandone o uso do fumo e o consumo total de bebidas alcoólicas.

Atenção

Os dados contidos nesse texto funcionam apenas como um informativo. Para mais informações, busque ajuda médica.

Inflamação aguda e crônica diferenças

É denominado como processo inflamatório ou inflamação as respostas que os organismos manifestam quando são acometidos por uma ou mais lesões, infecções ou algum distúrbio parecido, com o intuito de eliminar o agente causador da patologia do corpo, sendo um dos principais reagentes do sistema imunológico.

Todo esse procedimento acontece devido a liberação de substâncias do organismo que dão origem as respostas inflamatórias de acordo com a sua causa, como a histamina. Esses elementos ajudam a aumentar a irrigação sanguínea do local lesionado, fazendo com que células do sangue sejam atraídas à região, realizando a destruição dos agentes causadores da doença e  maior produção de plaquetas, para controlar possíveis sangramentos e elevar a resistência imunológica afetada.

Os motivos que mais ocasionam inflamações são o aparecimento ou o acumulo excessivo de bactérias, vírus, parasitas, venenos, traumatismos, contato extremo com a radiação solar, entre outros. Os principais sintomas que se manifestam com esse processo são as dores, edemas e a vermelhidão do local afetado, são chamados cientificamente por sinais cardinais, célsius e tétrade, pois são típicos desse tipo de doença.

Diferença entre inflamação aguda e inflamação crônica

Representação da migração dos leucócitos para a inflamação.
(Foto: Divulgação)

Dentre todo o processo infamatório, é possível caracterizar os quadros dos pacientes de acordo com o tempo que os seus sintomas demoram a surgir ou que a doença leva para ser curada, isto é, de maneira aguda ou crônica.

É dito como inflamação aguda, as respostas iniciais que a enfermidade manifesta no organismo, onde se demonstra através dos sinais cardinais; já a crônica corresponde ao distúrbio que se faz presente no corpo por mais de 3 meses e os seus sintomas quando não são aparentes, são muito intensos e agressivo ao sistema imunológico.

As principais fases encontradas dentro do processo inflamatório são:

» Alteração do fluxo vascular e outros demais transtornos, causando a vermelhidão e calor excessivo na área afetada;

» Aumento da permeabilidade vascular, gerando inchaços na região;

» Migração dos leucócitos à inflamação, proporcionando o transporte das células de defesa encontradas na corrente sanguínea até o local;

» Fagocitose e quimiotaxia, que tenta combater os agentes causadores, possibilitando a cura da doença e em alguns quadros, gerar uma inflamação crônica.

O tratamento das inflamações variam de acordo com as causas, se estão em aspecto agudo ou crônico, a observação médica e as condições do paciente, consistindo na maior parte dos casos no ministramento de remédios e soluções anti-inflamatórias.