Dores no joelho ao dobrar a perna

Os membros inferiores da estrutura corporal são expostos diariamente a vários tipos de transtornos, pois se movimentam constantemente com cargas elevadas – já que são responsáveis por dar suporte as demais regiões físicas – e na maioria das vezes, realizam essa ação de maneira inadequada.

De tanto forçar a musculatura, as articulações, ossos e tecidos, as dores começam a se exibir em pontos específicos, proporcionando incômodos relevantes. Os joelhos são as principais partes acometidas por esse sintoma, onde os desconfortos se tornam ainda mais frequentes e intensos ao dobrar a perna e caminhar.

O que pode ser?

Dores no joelho ao dobrar a perna

Joelho.

Os fatores que provocam as dores nessa região são muitos, porém, os mais constatados são:

» Lesões;
» Artrite;
» Artrose;
» Osteoartrite;
» Tendinite;
» Osteoporose;
» Excesso de peso;
» Contusão;
» Rompimento dos ligamentos;
» Rotura do tendão patelar.

O que fazer?

Assim que os sintomas começarem a surgir, o auxílio médico deverá ser procurado, principalmente se as dores vierem acompanhadas de inchaços, vermelhidão, sensibilidade ao toque, formigamento, febre e dificuldades de locomoção.

Tratamento

A prescrição dos métodos de contenção da patologia serão descritos de acordo com as suas causas evidenciadas no diagnóstico, podendo ser eles o uso de medicamentos, repouso, compressas, homeopatia, fisioterapia e procedimentos cirúrgicos.

Recomendações

» Evite pegar peso e sentar em cadeiras altas.
» Abaixe, sente e levante com a postura correta.
» Tenha sempre um encosto para os pés, principalmente se passar muito tempo sentado.
» Procure não realizar movimentos repetitivos com a região.
» Promova alongamentos ao longo do dia.
» Interrompa a realização de exercícios físicos que force a área até a sua recuperação total.
» Mantenha uma dieta saudável e uma boa quantidade de consumo de água.

Aviso!

Os dados contidos acima são apenas informativos. Para saber mais sobre esse tipo de transtorno, busque orientação médica!

Dores no joelho e pés inchados, o que pode ser?

A parte inferior do corpo é classificada como uma das mais afetadas por sintomas e desconfortos que podem (e costumam) vir a prejudicar as tarefas diárias de vários indivíduos. Dois dos sinais mais relevantes que se articulam a essa análise são as dores nos joelhos e os pés inchados.

Saber com exatidão o que isso representa, é um pouco complicado, inúmeros fatores podem ocasionar esses transtornos. Por isso, o mais recomendado nesses casos, é que o enfermo procure ajuda médica o mais rápido possível, para que um diagnóstico específico sobre o seu quadro seja executado e posteriormente o melhor tratamento ministrado.

Dentre os motivos que produzem esses efeitos, podemos citar:

Dores no joelho e pés inchados, o que pode ser?

Pernas de uma mulher.
(Foto: Reprodução)

  • Retenção de líquidos (nas duas áreas)
  • Má circulação (edemas nos pés)
  • Lesões
  • Traumas
  • Distensão
  • Ligamento rompido
  • Gota
  • Osteoartrite
  • Bursite
  • Cartilagem rompida
  • Artrite
  • Cisto de Baker
  • Infecção na articulação
  • Tendinite
  • Luxação patelar (nos joelhos)
  • Doença de Osgood-Schlatter
  • Síndrome da faixa iliotibial
  • Tumores ósseos

Outros sintomas costumam estar associados aos inchaços e dores (nessa particularidade), esses são a rigidez, vermelhidão, fraqueza, maior sensibilidade e diminuição de movimentos. Existem ainda fatores de risco que podem elevar as chances de uma pessoa apresentar tais enfermidades e distúrbios, como:

  • Estar acima do peso (obesidade)
  • Ter pouca força ou flexibilidade muscular
  • Já ter tido lesões nos locais anteriormente
  • Problemas biomecânicos
  • Prática de esportes

Durante o diagnóstico, possivelmente o profissional da área da saúde que estiver examinando o indivíduo fará uma:

  • Anamnese
  • Raio-x
  • Cultura de líquido articular
  • Ressonância magnética

Quanto antes o tratamento for iniciado melhor, isso ajuda a impedir que as condições de saúde do paciente não se agravem.

É importante ressaltar que a recuperação desses quadros costumam ter entre médio e longo prazo, portanto, é essencial ter paciência e realizar todos os procedimentos prescritos pelos médicos durante o período determinado.

Aviso!

Esse artigo é apenas um informativo sobre os sintomas descritos no tema. Para saber mais sobre o assunto, procure orientação de um bom ortopedista ou clínico geral no hospital mais próximo da sua residência.

Artrose no joelho: sintomas e tratamento

É denominado como artrose ou osteoartrite (OA) todas as degenerações provocadas nas articulações do corpo. Esse é considerado como um dos transtornos mais comuns do mundo em relação a essas áreas, sendo ocasionados com mais intensidade com o aparecimento do envelhecimento e de traumatismos.

O joelho se faz como uma das regiões mais afetadas por esse distúrbio, que se manifesta com frequência em indivíduos que possuem idade superior à 45 anos, com mais relevância nas mulheres do que nos homens.

Causas

Não existem causas específicas que simbolizem razões do aparecimento da doença, mas estudos constatam que os principais motivos que provocam essa anomalia são o excesso de peso, a obesidade, traumatismos diretos no local, desgaste natural da articulação, fraturas, lesões, distúrbios de coagulação, gota, pseudogota, artrite reumatoide e doenças inflamatórias associadas com as articulações.

Artrose: causas, sintomas, tratamento e prevenção.

Simbolização de um joelho saudável e outro com artrose.
(Foto: Reprodução)

Sintomas

» Dor e rigidez nas articulações do joelho;
» Estalos na região ao se movimentar;
» Inchaço;
» Calor;
» Dificuldades em se locomover e apoiar o joelho;
» Músculos da coxa mais fracos e atrofiados;
» Sensação de aumento do local;
» Aumento e diminuição dos desconfortos de acordo com a utilização da área. Quanto mais esforços, mais incômodos aparecerão.

Ajuda médica

Assim que os sintomas surgirem a ajuda médica deverá ser procurada, principalmente se eles estiverem atrapalhando seu estilo de vida, seus hábitos diários e noturnos.

Tratamento

Os procedimentos irão variar de acordo com a análise médica do quadro do enfermo, podendo se dar através do uso de medicamentos, sessões de fisioterapia, modificação nos hábitos de vida (em relação a suplementação, alimentação e prática de exercícios físicos regulares), infiltração com corticoides e nos casos mais graves, processos cirúrgicos.

Complicações possíveis

» Complicações nos processos cirúrgicos;
» Redução gradativa da realização de tarefas cotidianas;
» Menor capacidade de locomoção;
» Reações ao uso dos medicamentos.

Prevenção

Se alimentar corretamente, praticar exercícios físicos regularmente e ficar dentro do peso considerado saudável, se faz como as 3 ações mais importantes durante toda a vida para prevenir não somente a artrose, mas também outras demais doenças.

Atenção

Esse texto se trata de um importante informativo, devido essa enfermidade ser bastante preocupante, portanto, assim que ela surgir, procure orientação médica rapidamente.

Dores no menisco do joelho

O menisco corresponde as cartilagens do joelho, isto é, as estruturas fibrocartilaginosas existentes na articulação do joelho que possuem formato semilunar. Quando uma lesão afeta o local, vários sintomas podem se manifestar no organismo, como as dores. É considerada a área mais afetada, sendo a principal causadora das patologias na região.

Ao observar toda a estrutura do joelho, é possível observar que a sua composição se divide em dois meniscos, um interno (com formato de “C”) e outro externo (Com formato de “O”). Ambos ficam situados entre as cavidades da tíbia e os côndilos femorais.

Principais funções do menisco

» Absorção do impacto do corpo;
» Distribuição de forças;
» Estabilidade do corpo;
» Nutrição e lubrificação da cartilagem articular;

Causas

As principais razões constatadas até hoje, que ocasionam as lesões nos meniscos são os traumas, a degeneração articular da área e as malformações das estruturas com histórico congênito.

Lesões no menisco: causas, sintomas, tipos e tratamento.

Representação da localização do menisco.
(Foto: Reprodução)

Sintomas

» Dores no local – principalmente na parte da frente do joelho;
» Dificuldades para caminhar e marchar;
» Sensação de ressalto na área afetada;
» Limitação de movimentos;
» Inchaços;

Ajuda médica

A partir do momento que as alterações no joelho forem constatadas e começarem a se dar com frequência, a ajuda médica deve ser procurada. Um dos métodos utilizados para a observação do local e a possível constatação da lesão é a ressonância magnética.

Tipos de lesões

» Alterações degenerativas
» Rotura transversa ou radial;
» Rotura longitudinal;
» Rotura oblíqua;
» Rotura horizontal;

Tratamento

Os procedimentos utilizados irão variar de acordo com o tipo da lesão e a sua gravidade. Geralmente, o médico costuma realizar a cirurgia do local para corrigir a anomalia, ministrar total repouso para o paciente que deverá evitar mexer a perna por alguns dias colocando gelo na área para diminuir o inchaço e a dor.

Após alguns dias depois da operação, muletas e joelheiras poderão ser utilizadas para ajudar na locomoção do paciente, que necessitará de algumas sessões de fisioterapia para que o joelho volte a se movimentar normalmente.

Aviso

Esse texto se faz apenas como um informativo sobre as doenças que podem acometer o menisco, caso algum dos sintomas acima estejam se manifestando, não exite em procurar um bom  ortopedista, fisioterapeuta ou algum outro médico para a realização de um diagnóstico mais detalhado.

Músculos movimento joelho

Os membros inferiores são responsáveis por realizar a locomoção de peso e a manutenção de equilíbrio do corpo humano e tem como um dos seus principais componentes os joelhos, que realizam a intermediação das partituras encontradas nessa região da estrutura corporal.

Observando a fisiologia do joelho, é possível ressaltar que essa articulação se faz como uma das mais livres dos membros inferiores, isso porque seus principais movimentos, a flexão e a extensão, possibilitam o afastamento e a aproximação do membro da sua raiz, fazendo  com que consiga controlar a distância do corpo em relação ao solo.

Movimentos

» A flexão se dá através do afastamento da face posterior da perna em relação a face posterior da coxa;
» A extensão acontece quando a face posterior da perna se aproxima da face posterior da coxa;
» A rotação interna ocorre quando a ponta do pé é levada para dentro, intervindo no movimento de adução do pé;
» A rotação externa acontece quando a ponto do pé é levada para fora, intervindo no movimento de abdução do pé;

Toda a sua estrutura trabalha com fundamentos completamente interligados a compressão sob a ação do peso. Os músculos que fazem parte dos movimentos articulares dos joelhos são:

Flexão

» Sartório;
» Grácil;
» Bíceps femoral;
» Semitendinoso;
» Semimembranoso;
» Plantar delgado (fraco);
» Poplíteo (auxilia);
»  Gastrocnêmios (auxilia).

Extensão

» Vasto lateral;
» Vasto medial;
» Vasto intermédio;
» Quadríceps femoral;
» Tensor da fáscia lata (auxilia);
» Reto femoral;
» Glúteo máximo (auxilia).

Rotação interna

» Sartório;
» Grácil;
» Poplíteo;
» Semitendinoso;
» Semimembranoso.

Rotação externa

» Bíceps femoral;
» Tensor da fáscia lata (auxilia);
» Glúteo máximo (auxilia).

Os joelhos são compostos por três articulações, quando é observada a sua estrutura geral, sendo elas duas femorotibiais e uma femoropatelar. Existem ainda alguns elementos que ajudam a proporcionar reforço a esses membros:

» Ligamento poplíteo arqueado;
» Ligamento poplíteo oblíquo;
» Ligamento cruzado anterior;
» Ligamento cruzado posterior;
» Ligamento colateral medial/tibial;
» Ligamento colateral lateral;
» Ligamento patelar;
» Cápsula articular fibrosa;
» Meniscos.

Músculos movimento joelho

Fisiologia dos músculos de movimentação do joelho.
(Foto: Reprodução)