Síndrome do intestino irritável: gases, causas, tratamento e sintomas

A síndrome do intestino irritável ou SII, se trata de uma enfermidade bastante comum em meio a população mundial. É caracterizada como uma doença que provoca cãibras, dores abdominais e alterações nos movimentos intestinais.

Não existem causas claras que denominem as razões da SII, mas pesquisas revelam vários fatores que podem provocar o seu aparecimento, como a sensibilidade do intestino, o seu alongamento, movimentação, problemas na sua musculatura, estresse, depressão, ansiedade, entre outros.

Observação: A SII costuma se manifestar após uma infecção intestinal, chamada SSI pós-infecciosa.

Essa enfermidade pode acometer indivíduos de todas as idades, mas se dá com mais frequência em adolescentes e no início da fase adulta, sendo mais comum em mulheres do que em homens.

Síndrome do intestino irritável: causas, sintomas e tratamento

Dores abdominal, sintoma da SII.
(Créditos da foto: http://www.drfernandovalerio.com.br/)

Sintomas

» Dor abdominal;
» Repletação;
» Gases;
» Inchaço;
» Constipação;
» Diarreia;
» Perda do apetite;

Observação: A intensidade dos sintomas irá variar de acordo com o quadro de cada paciente.

Ajuda médica

Assim que os sinais começarem a aparecer com intensidade e frequência, um médico clínico ou um gastroenterologista deverá ser procurado, para analisar o quadro.

Diagnóstico

Para analisar o paciente e saber qual o estágio da SII, os médicos poderão ministrar anamneses, exames de sangue, cultura de fezes, sigmoidoscopia ou colonoscopia.

Tratamento

Os métodos utilizados para o tratamento dessa doença, visam conter e aliviar os sintomas, como:

» Mudanças no estilo de vida;

» Prática de exercícios físicos regulares;

» Boa alimentação;

  • Evitar refeições com grandes quantidades de alimentos;
  • Evitar alimentos e bebidas que estimulam o intestino como cafeína e refrigerantes à base de cola;
  • Evitar o consumo de cevada, álcool, trigo, centeio, chocolate e produtos lácteos;
  • Aumentar o consumo de fibras dietéticas.

» Ter boas noites de sono;

» Reduzir o estresse e a ansiedade;

» Usar mediamentos de venda livre ou não, como laxativos, suplementos de fibras, remédios anticolinérgicos, entre outros.

Tem cura?

A SII pode vir a ter cura, dependendo da reação do organismo em relação ao tratamento. É importante lembrar que mesmo sendo permanente em um indivíduo, essa doença não causa danos permanentes ao intestino e não o leva a manifestação de nenhuma doença mais grave.

Aviso

Todo o contexto descrito nesse artigo se faz apenas como um informativo sobre a SII. Caso ache necessário, procure a ajuda de um médico gastroenterologista.

Gases estomacais provocam falta de ar

Os gases estomacais provocam bastante desconforto e podem acometer pessoas de diversas idades e sexos em várias partes do mundo, em vários estágios das suas vidas, isso porque são causados por fatores alarmantes do século XXI, como a alimentação inadequada, deglutição do ar (comer ao falar), prisão de ventre, sedentarismo, correria do dia a dia, consumo demasiado de alimentos industrializados, com altas taxas de açúcares, gorduras, etc.

Devido a facilidade dos fatores acometerem o corpo, os gases estomacais podem ser produzidos de maneira exacerbada, provocando sintomas no organismo dos indivíduos, podendo vir a causar alterações em seu sistema respiratório. Veja alguns sinais abaixo dessa patologia:

Gases estomacais: causas, sintomas e tratamento.

Desconfortos provocados pelos gases estomacais.
(Foto: Divulgação)

» Arrotos;
» Estômago alto;
» Desconforto gástrico;
» Peso no estômago;
» Azia;
» Falta de ar;
» Fisgada no peito;

Assim que os sintomas começarem a aparecer, é indicado que a ajuda médica seja procurada para que o tratamento se inicie, podendo ele se dar:

» Evitar alimentos que causam gases;
» Comer de vagar e mastigar bem os alimentos;
» Não beber nenhum tipo de líquido enquanto come;
» Beber pelo menos 1,5 litros de água por dia;
» Praticar exercícios físicos;
» Evitar bebidas gaseificadas;
» Manter uma dieta alimentar sempre equilibrada com consumo diário de fibras;
» Evitar o consumo de alimentos ricos em carboidratos, leite e seus derivados;
» Não mascar chicletes ou falar enquanto estiver comendo;

Atenção: esse artigo se faz apenas como um informativo. Portanto, se os sintomas acima tiverem acometendo o seu organismo, procure orientação médica o mais rápido possível.