Água com gás e sabor, engorda?

Quando chegamos em supermercados, distribuidoras, quiosques, restaurantes ou qualquer tipo de comércio que vendam bebidas, podemos observar nas prateleiras e freezer’s a presença de águas coloridas e gaseificadas, estando elas disponíveis em várias marcas, sabores e preços.

A curiosidade em experimentar esse produto é grande, mas muitos não realizam seu consumo por não saber como esse elemento pode vir a reagir em seu organismo, principalmente quando estão passando por uma fase mais restrita em sua dieta.

Se você também está com dúvidas em relação as águas saborizadas, acompanhe os questionamentos e respostas a seguir!

Engordam?

Sim, mas a quantidade de calorias e gás carbônico que possuem em sua composição é bem menor do que nos refrigerantes, portanto, sua ingestão é bem mais saudável e aconselhável, tendo em vista que excessos devem ser evitados para prevenir o ganho de peso.

Água com gás e sabor, engorda?

Representação de um copo com água saborizada.
(Foto: Reprodução)

Qual é a sua composição?

Geralmente são compostas por água mineral, aromatizantes de fruta, conservantes, gás carbônico e adoçante.

Quem pode tomar?

Todas as pessoas podem promover o consumo desse tipo de produto, desde que ele não seja manipulado com frequência e em elevados níveis.

Provocam celulite?

Sim, quando sua ingestão é articulada em grande escala, com a dinamização de uma má alimentação e sedentarismo.

Quais as melhores marcas?

De acordo com os números de vendas, podemos destacar as marcas Aquarius Fresh, H2OH! e Guarah.

Hidratam o organismo?

 Sim, possuem basicamente o mesmo poder de atuação que a água mineral.

A água mineral pode ser substituída pela água com gás e sabor?

Essa troca não é indicada, a bebida tradicional é essencial para o bom funcionamento do organismo, proporcionando excelentes benefícios, como o controle do pH sanguíneo. A ingestão desse produto é apenas uma opção para sobremesas e lanches, mas não para uso diário.

Estalar os dedos engrossa?

Você também estala os dedos? 

Esse é um hábito que acontece devido a descompressão do líquido sinovial lubrificante, ou seja, a separação das articulações, fazendo com que haja um alongamento do tecido conectivo e por consequência ocorra a produção de bolhas de gás nos tendões, juntas e ligamentos estalados.

Sempre que os dedos são dobrados as articulações se esticam, fazendo com que suas cápsulas fiquem com mais espaço, liberando os gases do fluído. Por esse motivo é que os estalos só ocorrem de tempos em tempos, a área necessita de uma nova formação de gás para promover a sonoridade novamente.

Estalar os dedos engrossa as juntas?

Estalar os dedos engrossa?

Estalando os dedos.
(Foto: Reprodução)

Segundo as pesquisas realizadas por reumatologistas, essa prática pode sim vir a engrossar a área das juntas (mas é muito rara essa constatação), a promoção desse movimento, quando se manifesta de maneira muito repetitiva, ocasiona o enrijecimento das articulações e por consequência o aumento das suas dimensões.

Faz mal para a saúde?

De acordo com a avaliação de especialistas, tudo em excesso faz mal e por essa razão, pessoas que costumam estalar os dedos de forma descontrolada podem vir a desenvolver alguns desconfortos como dores nas terminações nervosas, processo que provoca quadros agudos de artrite ou osteoartrite.

Atenção!

Cada caso é avaliado individualmente, portanto, não é possível generalizar nenhuma das respostas das perguntas efetuadas acima. Se algum sintoma for apresentado, a ajuda médica deverá ser procurada o mais rápido possível para a promoção de um diagnóstico específico e um tratamento adequado, se necessário.

Cachorro pode comer chocolate

Por vezes, temos a mania de estar comendo algo e dar um pouquinho para os nossos cães, que nos olham com aquela irresistível carinha de pidão, mas esse processo muitas vezes se faz perigoso para esses animais dependendo do alimento que é ministrado para o seu consumo, mesmo que seja em pouca quantidade, como o chocolate.

 Esse produto possui elementos nocivos a saúde dos cães, como a teobromina, substância que faz um grande estrago no sistema nervoso desses animais, como reações alérgicas, taquicardia, arritmia, aumento da pressão arterial, tremores e convulsões. Além disso, dependendo da quantidade que se faz ministrada, o cão pode vir a óbito, em alguns casos.

Cachorro pode comer chocolate

Cachorro.
(Foto: Reprodução)

Devido as grandes taxas de açúcares presente nessa deliciosa sobremesa, as cáries e problemas dentários também podem acometer o animal, provocando grandes desconfortos, como as dores de dente.

Outros demais alimentos que não são indicados para a alimentação canina são:

Abacate: possui uma substância tóxica chamada persina, que pode ocasionar desarranjo gastro-intestinal.

Alho: pois pode causar anemias, falência renal, além da destruição das células vermelhas e a perda da hemoglobina.

Bebidas alcoólicas: porque provocam sérios malefícios para o cão, como a depressão, excitação, frequência urinária, ataque cardíaco, respiração lenta e ofegante, podendo ocasionar até mesmo a sua morte.

Café: devido a presença de chantinas em sua composição, pois é um estimulante cardíaco e ainda causa significativos danos ao sistema urinário e nervoso do animal.

Cebola: porque possuem tiosulfato, elemento que propicia o desenvolvimento de anemias.

Comidas gordurosas: causa problemas gastrointestinais, como a pancreatite.

Noz macadâmia: em sua composição, possui uma substância desconhecida, que provoca sérios transtornos a musculatura, sistema digestivo e nervoso dos cães.

Uvas e uvas passas: porque ocasionam insuficiência renal aguda.