Mau humor engorda

Vivenciando aquele período de sobrecargas, onde o estresse e o mau humor reinam no seu cotidiano com extrema frequência e intensidade? Saiba que essas alterações podem gerar sérios danos a sua saúde, bem estar e também à sua aparência física.

Pesquisas recentes do Instituto Weizmann, de Israel, demonstram que ambos transtornos emocionais ocasionam ganho de peso (na maioria dos quadros), devido ao acúmulo de tensões proporcionados a estrutura corporal, fazendo com que uma região da área cerebral produza a proteína UCN3.

Esse elemento consegue agredir vários órgãos do organismo, como o pâncreas, fígado, cérebro e coração. Além disso, ainda aumenta em grande escala a vontade de comer descontroladamente, promovendo uma menor sensação de saciedade, fazendo com que o indivíduo se alimente o tempo todo.

A junção desses maus hábitos gera sérios danos a saúde:

Mau humor engorda

Barriga com gordurinhas localizadas.
(Foto: Reprodução)

» Alterações na pele
» Ganho de peso
» Maior acúmulo de gordura localizada
» Baixa autoestima
» Diabetes
» Hipertensão
» Colesterol alto
» Obesidade mórbida
» Doenças cardiovasculares

O que fazer?

Para evitar as disfunções descritas acima e outras com quadros mais graves, é essencial que métodos de contenção das alterações emocionais sejam executados diariamente e que a ajuda médica de um profissional da área da saúde seja procurada, caso os procedimentos a seguir não demonstrem resultados a curto prazo:

» Se alimente de maneira correta e saudável.
» Pratique exercícios físicos.
» Tenha boas noites de sono.
» Reflita sobre os seus sentimentos.
» Converse com um bom amigo.
» Procure rir mais.
» Não leve trabalho para casa.
» Diminua suas cargas diárias.
» Tenha um tempo só seu.
» Resolva um problema de cada vez.
» Não durma chateado e nem brigado com ninguém.
» Evite discussões desgastantes e que não vão chegar a lugar algum.
» Não deixe que os outros te façam de bobo ou te passem para trás.
» Viva o presente e pare de se preocupar com o amanhã.
» Resolva de uma vez por todas sua vida sentimental com o par.
» Se arrume mais e volte a fazer as atividades que gosta, isso ajudará a elevar a autoestima.
» Mantenha um bom diálogo com todas as pessoas que tem convivência diariamente.
» Estimule sua líbido e melhore a relação íntima do casal.
» Pare de frequentar ambientes que estejam te deixando estressado ou triste. Evite pessoas que estejam nesse meio também.

Dicas para evitar o estresse excessivo

Um dos desconfortos que acometem a estrutura emocional e física dos seres humanos é o estresse, sentimento que gera uma mistura de sensações, contendo insegurança, medo, preocupações, tristeza, impaciência e lapsos de raiva. Essa disfunção é classificada pelos médicos como “inevitável” em certos momentos da vida.

O grande problema dessa reação mental (e por vezes corporal), é o seu acúmulo, fazendo com que se torne um distúrbio excessivo, ou seja, constante, frequente e intenso. Suas causas costumam estar interligadas ao trabalho, obrigações ou problemas familiares, ansiedade, relacionamentos, pressões, problemas de saúde, entre outros fatores.

Quando o estresse atinge esse estágio, gera inúmeras dificuldades e tormentos para a vida do seu enfermo, que pode vir a manifestar os sintomas a seguir quando as crises se fazem presentes:

Dicas para evitar o estresse excessivo

Homem irritado.
(Foto: Reprodução)

  • Tontura
  • Tremores
  • Sudorese
  • Respiração acelerada ou ofegante
  • Batimento cardíaco acelerado ou fora do ritmo
  • Boca seca
  • Dores abdominais
  • Cefaleias
  • Desgaste constante
  • Dificuldade de concentração
  • Formigamento
  • Nervosismo
  • Sensação de cansaço
  • Hipertensão
  • Tensão ou dor muscular
  • Mudança de apetite
  • Problemas para adormecer
  • Perda de controle das suas atitudes

O que fazer?

Assim que os incômodos começarem a se apresentar descontroladamente, a ajuda médica deverá ser procurada o mais rápido possível, com relevância nos quadros em que o indivíduo manifestar lembranças de eventos traumáticos, medos incontroláveis, pânico e os sintomas descritos acima.

Os métodos de tratamento utilizados para controlar o estresse, variam de acordo com o diagnóstico médico executado e as condições de saúde mental e física do paciente. Modificações nos hábitos de vida, uso de medicamentos, sessões de terapia, dieta balanceada e saudável, diminuição do uso cafeína, drogas lícitas e ilícitas são algumas das prescrições dos profissionais da área da saúde para conter essa disfunção emocional.

Fatores de risco

  • Depressão
  • Síndrome do pânico
  • Distúrbio de ansiedade
  • Transtorno por estresse pós-traumático
  • Transtorno obsessivo compulsivo

Dicas de prevenção

Evitar as crises de estresse é a melhor maneira de se ver longe dos desconfortos que esse transtorno emocional produz. Se você deseja controlar ou ajudar alguém nisso, confira abaixo algumas recomendações favoráveis:

 Identifique quais são as causas do seu estresse e evite manter contato com elas.

 Tire dias de folga para descansar. Se possível, viaje para um lugar tranquilo e sem a presença de pessoas que possam te tirar do sério.

 Evite todos os tipos de tensões.

 Procure equilibrar suas atividades profissionais e obrigações familiares para diminuir os nível de pressão.

 Não faça consumo de remédios ou drogas que contenham substâncias “viciantes” e que de alguma maneira ativam ou amenizam seu estresse.

 Realize diariamente opções de entretenimento que distraia sua mente.

 Durma bem.

 Pratique exercícios físicos diários ou alguma modalidade de esporte, isso poderá ajudar a diminuir seus níveis de energia e estresse.

Aviso!

Os dados contidos nesse artigo servem apenas para pesquisa. Caso necessite de mais informações ou orientações específicas, procure ajuda médica.

Tratamento de estresse

Devido a correria do dia-a-dia e a sobrecarga que vivemos, o estresse se faz como um fator comum na sociedade atual, podendo vir a provocar entre leves a sérios danos nos indivíduos, dependendo da sua frequência e intensidade.

Esse transtorno é caracterizado como uma sensação de desconforto, preocupação e medo, que gera grande descontrole emocional na pessoa, provocando ataques de nervosismo, irritabilidade, inquietude, frustração, entre outras oscilações de humor.

As razões que ocasionam o estresse, nem sempre são identificadas, mas costumam quase sempre estar interligadas com:

» Medo;
» Trânsito;
» Fumar;
» Sono;
» Fome;
» Abstinência;
» Sobrecarga;
» Baixa auto-estima;
» Falta de tempo e apoio;
» Alimentação incorreta;
» Excesso de responsabilidade;
» Mudanças bruscas em alguma área da vida;
» Alteração do ritmo habitual do organismo;
» Presença de ruídos e barulhos exagerados;
» Aumento das pressões e de sobrecarga de trabalho, dos níveis de exigências, tanto qualitativas, quanto quantitativas;

Sintomas

Tratamento de estresse

Homem estressado.
(Foto: Reprodução)

» Sudorese;
» Tremores;
» Boca seca;
» Respiração acelerada;
» Batimentos fora do ritmo;
» Problemas para se alimentar;
» Ritmo cardíaco acelerado;
» Dificuldade de concentração;
» Cansaço;
» Aparição de pesadelos;
» Problemas sexuais;
» Dificuldade para dormir;

Ajuda médica

Quando o estresse deixa de ser algo normal e começa a atrapalhar a vida do indivíduo, a ajuda médica deverá ser procurada, principalmente se ele fizer uso de drogas ilícitas ou lícitas.

Anamneses, exames físicos e sanguíneos poderão ser ministrados para a constatação do grau do estresse que vem acometendo o paciente.

Tratamento

Os métodos utilizados para aliviar e conter os ataques de estresse, irão variar de acordo com o quadro de cada enfermo, podendo se dar com a mudança alimentar, prática de exercícios físicos, uso de medicamentos, massagens, acupuntura, fitoterapia, técnica de Reike, etc.

Cuidados

Existem alguns meios que ajudam a prevenir e controlar os ataques de estresse, hábitos bastante saudáveis que fazem bem não somente para o emocional, mas também para o físico dos seres humanos, como:

» Limitar a ingestão de álcool e cafeína;
» Não usar drogas lícitas e ilícitas;
» Diminuir as tarefas diárias, evitando a sobrecarga;
» Encontrar saídas benéficas para resolver problemas;
» Equilibrar as atividades diárias do trabalho, familiar, no relacionamento, filhos, amigos, etc;
» Fazer pausas no trabalho e durante o dia para repousar;
» Evitar manter contato com pessoas muito agitadas, nervosas, espaçosas;
» Converse com pessoas de confiança;
» Faça exercícios físicos para descontar as más energias;
» Retire um tempo todos os dias para fazer aquilo que gosta;
» Se afaste de pessoas que fazem mal para você;
» Respire uma, duas ou até mil vezes se necessário, antes de tomar qualquer atitude;

Estresse atrasa menstruação mesmo com anticoncepcional

O ciclo menstrual gera grandes dúvidas para milhares de mulheres, todos os dias. Isso porque sua manifestação acontece de uma forma diferente no corpo de cada uma delas, devido as taxas e desequilíbrios hormonais, transtornos físicos, emocionais e mentais, entre outros demais fatores.

O estresse é um dos sintomas que podem vir a acarretar o atraso menstrual, mesmo quando a mulher faz o uso correto das drágeas anticoncepcionais. Através de inúmeras pesquisas, cientistas acreditam que esse distúrbio ocorra pelo excesso de produção de cortisol (hormônio responsável por sentimentos de depressão e ansiedade).

Outros hormônios que costumam ser atingido pela alta manifestação do estresse são o estrogênio (que possuem a função de controlar a ovulação e desenvolver o organismo feminino) e a serotonina (elemento responsável pelas sensações de bom humor, alegria e felicidade).

Estresse atrasa menstruação mesmo com anticoncepcional

Mulher estressada.
(Foto: Reprodução)

A ansiedade que o estresse proporciona a toda estrutura corporal, pode ainda causar ganho de peso considerável, colesterol alto (devido a má alimentação) e impulsividade. Outras razões que podem vir a provocar o atraso menstrual são:

» Gravidez;
» Dietas restritivas;
» Prática em excesso de exercícios físicos;
» Má alimentação;
» Ovários policísticos;
» Mioma;
» Endometriose;
» Uso da pílula do dia seguinte (PDS);

O que fazer?

O melhor a fazer em casos de atrasos menstruais, é realizar o teste de gravidez, seja ele de farmácia ou de sangue. Se o resultado for positivo, um obstetra deverá ser procurado para  iniciação do pré-natal, mas se for negativo, uma consulta ginecológica deverá ser marcada para  análise do quadro da paciente.

Somente após um disgnóstico preciso, o médico poderá constatar as razões que vem ocasionando o atraso menstrual. Quando a principal razão desse transtorno encontra-se interligada ao estresse, os métodos utilizados para proporcionar o controle hormonal são a mudança do estilo de vida da mulher, em relação a sua alimentação, prática de exercícios físicos e diminuição das tarefas diárias.

Observação: A mudança de anticoncepcional, o uso de outros medicamentos que controlem o estresse, repouso e o acompanhamento de psicólogos poderão ajudar nesse processo, em alguns quadros.