Dores fortes no estômago, vômito e diarreia

O organismo, sempre que tem seu sistema acometido por alguma doença, manifesta sintomas que variam o seu grau de intensidade de acordo com as causas para alertar o indivíduo de que algo está errado. Quando as dores de estômago, a diarreia e vômitos aparecem juntos, possivelmente uma gastroenterite está acometendo a estrutura corporal, promovendo sérios danos.

Essa doença é caracterizada como uma inflamação que atinge os órgãos do sistema gastrointestinal, sendo provocadas pela presença de bactérias, vírus e/ou parasitas nessa região. A aglomeração desses micro-organismos acontece, na maioria dos casos, pelo ar, através de intoxicações alimentares, o contato da boca com a mão e objetos contaminados.

Outros sintomas que costumam se surgir no enfermo quando a gastroenterite o acomete são:

Dores fortes no estômago, vômito e diarreia

Representação de uma pessoa doente.
(Foto: Reprodução)

  • Desidratação;
  • Febre alta;
  • Náuseas;
  • Diminuição ou perda de apetite;
  • Dores corporais – por vezes surgindo como pontadas;
  • Perda de peso.

Ajuda médica

Caso a combinação dos sinais enfatizados acima ocorra, uma unidade hospitalar deverá ser procurada, para que um diagnóstico preciso do quadro do paciente seja realizado, descobrindo assim o seu agente causador para posteriormente ser ministrado o tratamento correto.

Tratamento

Os métodos utilizados para a extinção dos sintomas e a eliminação do micro-organismo vai variar de acordo com as observações médicas, mas, nesses casos, costuma ser frequente o ministramento de remédios orais ou intravenosos.

A mudança alimentar também fará essencial por todo esse período, onde o paciente deverá optar por consumo de produtos saudáveis e mais leves como legumes, verduras, frutas, carnes magras, peixe e frango (sendo os três preparados de forma saudável: cozidos, grelhados ou assados).

Aviso!

Esse texto se faz apenas como um informativo. Para obter um diagnóstico mais específico sobre o seu quadro, procure orientação médica.

Dor estômago gravidez

Os sintomas que aparecem durante a gestação preocupam muito as gestantes, ainda mais quando são desconfortantes e frequentes como as dores de estômago. É essencial que sempre algum incômodo se manifestar o médico obstetra ou ginecologista seja alertado para que um diagnóstico específico seja feito para saber os motivos que estão ocasionando tal transtorno.

As dores nesse órgão se fazem muito comuns durante a gravidez, porque o estômago faz a liberação de maiores quantidades de enzimas digestivas, proporcionando a sensação de queimação e possíveis refluxos, com mais relevância nas mulheres que já tiveram quadros de gastrite e úlcera.

Dor estômago gravidez

Gestante olhando para sua barriga.
(Foto: Reprodução)

Outros fatores que podem vir a ocasionar esse sintoma são a compressão dos órgãos (devido ao crescimento do útero para a formação e desenvolvimento do feto), o retorno do suco gástrico, gases estomacais, uso de roupas apertadas, ritmo lento do metabolismo, o nervosismo, a ansiedade, o estresse e o consumo exagerado de alimentos e bebidas nas refeições (má alimentação).

O quê fazer?

Assim que as dores e os desconfortos começarem a se manifestar, a ajuda médica deverá ser procurada para que mudanças de hábitos e o uso de alguns remédios sejam ministrados. É importantíssimo ressaltar que as gestantes NÃO devem fazer o uso de medicamentos sem que haja uma indicação de um profissional da área da saúde.

Dicas

Veja abaixo alguns métodos práticos que poderão te ajudar a aliviar as dores no estômago:

  • Aumente o consumo de água e sucos naturais;
  • Consuma alimentos ricos em fibras;
  • Diminua a quantidade de alimentos das refeições e fracione-as;
  • Evite o consumo de alimentos com altos níveis de gordura, açúcar e os industrializados;
  • Não beba líquidos enquanto come;
  • tome chá de erva cidreira com funcho para aliviar as dores;

Aviso!

Caso as dores de estômago venham acompanhadas com sangramentos, procure ajuda médica imediatamente, pois alguma complicação grave pode estar acometendo o organismo ou o desenvolvimento do bebê.

Dores fortes no estômago e enjoo

Os desconfortos corporais e mentais costumam se manifestar quando o organismo está sendo acometido por algum transtorno ou doença, servindo como um sinal para que cuidados sejam realizados em sua estrutura.

As dores abdominais e enjoos são sintomas que se apresentam no caso de algumas enfermidades, sendo as principais delas a gastrite e a úlcera. Ambos processos correspondem a distúrbios que acometem o trato digestivo, provocando sensações que variam entre brandas, moderadas e intensas, sendo capazes de atrapalhar a rotina do enfermo e até mesmo levar à internação.

Geralmente, as dores se manifestam em forma de pontadas próximo a região do estômago e os enjoos se fazem mais frequentes após as refeições, proporcionando também azia, vômitos, refluxo, dor de cabeça, eructações, indigestão e outros demais sintomas desagradáveis.

Ajuda médica

Dores fortes no estômago e enjoo

Representação do corpo humano.
(Foto: Reprodução)

Assim que os sintomas começarem a aparecer com certa frequência, um médico deverá ser procurado, de preferência um gastroenterologista ( especialista responsável por diagnosticar e tratar pessoas acometidas por essas doenças).

Diagnóstico

Os métodos utilizados para analisar o quadro do paciente e o grau da enfermidade costumam se dar entre análises clínicas, endoscopia digestiva e biópsia do tecido estomacal.

Tratamento

O tratamento do enfermo vai depender muito do diagnóstico médico e dos danos que a doença provocou em seu organismo. O ministramento de remédios, mudanças de hábitos físicos e alimentares, são as particularidades consideradas essenciais para a cura do paciente.

Recomendações

» Mantenha sempre uma alimentação balanceada, com o consumo de alimentos benéficos para a saúde;

» Beba bastante água, principalmente em dias quentes e após a realização de atividades que gastem muita energia;

» Pratique exercícios físicos regularmente;

» Evite o consumo exagerado de alimentos gordurosos, açucarados, com altos teores de sódio e industrializados;

» Diminua ou cesse totalmente o consumo de bebidas gaseificadas e alcoólicas;

» Pare de fumar;

Observação: As recomendações acima podem ser utilizadas tanto para o tratamento quanto para a prevenção dessas doenças.

Aviso

Esse artigo é faz apenas um informativo. Para saber mais sobre o assunto ou as razões que estão propiciando o surgimento desses sintomas, procure orientação médica.

Dor perto do estômago lado esquerdo

As dores que se manifestam no abdômen, do lado esquerdo do corpo, próximo ao estômago, costumam representar um sinal da pancreatite aguda, doença que provoca o inchaço e a inflamação do pâncreas, órgão que participa da regulação de atividades metabólicas e da porção externa secreta das enzimas digestivas, tendo como suas principais funções a produção hormonal e enzimática.

Essa enfermidade acomete com mais frequência os homens do que as mulheres, devido aos maus hábitos de vida que grande parte deles possuem.

Causas

Os principais fatores que provocam essa doença em sua fase aguda são:

» Uso de álcool;
» Problemas autoimunes;
» Deformação de pequenos cálculos biliares;
» Bloqueio do fluxo das secreções pancreáticas;
» Aumento da glândula pancreática;
» Acúmulo de líquido no pâncreas;

Já em condições crônicas, as principais causas são:

» Alcoolismo;
» Alterações no parênquima pancreático, como a fibrose e o endurecimento;
» Atrofia do pâncreas;
» Dilatação do duto pancreático (canal de Wirsung);

Pancreatite: causas, sintomas, tratamento e prevenção

Abdômen de uma mulher.
(Foto: Reprodução)

Sintomas

Agudos

» Dor abdominal intensa;
» Náuseas;
» Vômitos;
» Icterícia.

Crônicos

» Sintomas da pancreatite aguda;
» Diarreia;
» Diabetes;
» Inchaço;
» Hemorragias;

Diagnóstico

A confirmação da enfermidade e a constatação do seu grau de gravidade se dá através de análises clínicas, anamneses, exames de sangue, raios X e ultrassom abdominal.

Ajuda médica

Assim que os sintomas começarem a se manifestar, a ajuda médica deverá ser procurada. Quanto mais rápido esse procedimento for realizado, assim como o diagnóstico e o tratamento do indivíduo, menos danos o pâncreas terá, diminuindo as possibilidades de hemorragias e a morte do paciente.

Tratamento

Os métodos utilizados irão variar de acordo com as causas constatadas e o grau da doença, podendo se dar com o uso de medicamentos, interrupção de alimentos ou líquidos pela boca para limitar a atividade do pâncreas, sucção nasogástrica, terapias, drenagens, remoção dos cálculos biliares, cirurgia para a retirada do tecido pancreático infeccionado ou morto.

Complicações possíveis

» Acscite;
» Cistos;
» Insuficiência cardíaca;
» Pressão arterial baixa;
» Abscessos no pâncreas;
» Insuficiência renal aguda;
» SDRA (Síndrome do desconforto respiratório agudo);

Prevenção

» Pouco ou nenhum consumo de bebidas alcoólicas;
» Manter o cartão de vacina em dias;
» Não fazer uso de medicamentos sem prescrição médica, principalmente de aspirinas;

Recomendação

Assim que a enfermidade for descoberta, é essencial que o paciente abandone o uso do fumo e o consumo total de bebidas alcoólicas.

Atenção

Os dados contidos nesse texto funcionam apenas como um informativo. Para mais informações, busque ajuda médica.