É possível viajar de mochilão com pouco dinheiro?

O mochilão é um dos estilos de viagem que vem sendo bastante praticado em vários continentes do planeta, devido a autonomia que o indivíduo emprega em seus passeios, conseguindo economizar seus custos mesmo conhecendo diversos pontos turísticos em destinos completamente singulares.

Mesmo sendo uma opção consideravelmente barata, os mochilões só conseguem se dinamizar em valores baixos quando o turista tem consigo um equilíbrio de saudável do “precisar” e do “querer”. Através dessas e outras demais bases (como alimentação, hospedagem, transporte, passeios, vida noturna e compras), é possível articular qual é o perfil do viajante.

Alguns dos pontos cruciais de todo esse processo é a organização, antecipação e a pesquisa. Com esses pilares é possível determinar aonde dá para economizar, o que dá para abrir mão, as alternativas que poderão ser efetuadas para conseguir dinheiro extra, entre outros macetes que auxiliam a poupar sem ter que perder as maravilhas dos centros turísticos escolhidos.

Para ajudar nessa programação, confira a seguir dicas que poderão ajudar muito – se seguidas a risca!

 Escolha quais os destinos que deseja visitar, priorizando as suas finanças, o seu perfil, gostos individuais e do grupo, caso não for fazer o mochilão sozinho.

É possível viajar de mochilão com pouco dinheiro?

Mochileiro aproveitando os pontos turísticos naturais.
(Foto: Reprodução)

 Pesquise quais os documentos necessários para entrar e permanecer nos locais desejados, deixando todos em ordem alguns meses antes a viagem.

 Faça uma lista com todos os detalhes necessários para a viagem, como estadia, alimentação e passeios. Veja quais as opções que o destino oferece em relação a cada um deles, foque nos mais baratos, veja como aderi-los e feche contrato com eles o quanto antes, pois assim poderá obter descontos.

 Entre em contato com blogueiros da internet, principalmente com aqueles que já foram para o lugar que você escolheu para visitar. Peça dicas, informações sobre a área, etc.

 As passagens entre os destinos escolhidos é um dos pontos que mais pesam no bolso, portanto, quanto antes elas forem compradas e pagas, melhor. Aos finais de semana e de madrugada, os preços dos bilhetes costumam ser mais baratos devido a presença das promoções relâmpago, vale a pena analisar.

 Aproveite todos os cupons de desconto encontrados nos sites de busca e pesquisa da internet.

 Reserve as hospedagens com antecedência. Procure se acomodar em albergues, casas de família e outros centros mais comunitários, eles costumam ser mais baratos e aconchegantes.

 Faça uma observação sobre os restaurantes e lanchonetes das regiões escolhidas, destacando as que estão mais em conta e que oferecem opções alimentícias com qualidade e bom atendimento. Comprar aperitivos nos supermercados ou cozinhar no alojamento são excelentes táticas de economia em alguns casos.

 Em relação as opções de entretenimento (passeio), opte por visitar as que são gratuitas e feche um pacote para conhecer as pagas.

 Coloque em um gráfico os dias que permanecerá nos centros turísticos, o que pretende fazer e o gasto médio de cada atividade. Assim você irá conseguir estabelecer um custo total aproximado da viagem.

 Para se locomover, opte por ir a pé, de bicicleta ou em transportes coletivos.

 Para ganhar um dinheirinho extra, faça “bicos”, ou seja, preste serviços em lugares que pagam um preço justo pelo seu trabalho. Essa é uma excelente alternativa para os não preguiçosos e/ou que precisam de grana para se divertir um pouco mais em seus programas.

Como processar uma pessoa que deve dinheiro?

Processar uma pessoa que me deve dinheiro

Muitos são os casos de “empréstimo temporário” com base apenas na palavra que acabam por trazer grandiosos prejuízos àqueles que emprestaram. Naturalmente, muitas pessoas acreditam não haver reversão no caso de dinheiro emprestado que não volta às mãos do interessado.

Embora (dependendo da quantidade de dinheiro) as causas sejam pequenas, é possível entrar com uma ação judicial contra a pessoa que agiu de má fé. O primeiro passo é procurar o que chamamos de Juizado Especial. Lembrando sempre, que você necessitará de testemunhas e provas.

Tudo é válido, desde mensagens no celular até e-mails e relacionados. Depois de reunir todas as provas que possui, poderá dar início a uma ação de cobrança ou ação monitória. Não há especificamente a necessidade da contratação de um advogado (se for para valores pequenos).

O martelo dos juízes.

Processo jurídico (foto: reprodução)

Um funcionário do órgão lhe atenderá, indicando o seu caso ao encaminhamento de um juiz. Tudo isso para que uma análise das provas seja feita e a tramitação do seu pedido seja efetuada. Caso procure um advogado, esse lhe cobrará uma porcentagem do valor que ganhará.

É uma boa opção, entendendo que o mesmo dará início e agilizará o processo. Mas não chega a ser necessário, se o valor for realmente muito baixo. Em causas simples, você mesmo pode dar entrada nos trâmites e tentar reaver o seu dinheiro sem auxílio profissional.

E com relação a grandes quantias?

Se o caso for de valores exacerbados, maiores que R$2.000, é interessante procurar um profissional. Isso porque outros pontos deverão ser observados e um advogado terá experiência e conhecimento o suficiente para levar a juiz de uma maneira mais rápida.

Lembrando sempre que um acordo de paz é o mais interessante antes de levar a justiça. Caso não seja possível, em última instância, leve a procedimentos judiciais. Para que todos os seus direitos sejam assegurados e fundamentados corretamente, procure um profissional da área.

Como juntar dinheiro para o casamento

O casamento é um importante passo na vida de qualquer casal, sendo o desejo de muitos deles atualmente. Ter uma vida conjunta, selada pela benção de Deus, é um dos grandes propósitos ministrados por fiéis, mas poucos aderem a esse processo devido os custos que ele proporciona.

Os trajes, a decoração da igreja, festa, convites, lembrancinhas, bebidas, buffet e tantos outros detalhes costumam causar uma aglomeração de valores, que por vezes não se faz acessível ao bolso dos noivos. Ao observar isso, alguns pesquisadores elaboraram dicas para o casal economizar dinheiro e realizar o tão sonhado casamento. Veja algumas delas:

» Faça uma planilha de todos os gastos do que pretende fazer;

Dicas para economizar dinheiro para o casamento.

Nos dias de hoje o casal pode planejar melhor o casamento, assim estará economizando na recepção dos convidados, decoração de igreja e até na viagem da lua de mel. (Foto: Reprodução)

» Abandone um pouco a vida social, festinhas e qualquer outro tipo de saidinhas. Lembre-se, o foco do casal agora é polpar;

» Evite fazer qualquer tipo de dívida;

» Faça uma pesquisa de preços, veja o que é mais acessível, as trocas de produtos que podem ser realizadas;

» Procure escolher as flores da temporada que deseja casar, elas são mais em conta que as demais;

» Ao invés de comprar o vestido, o traje o noivo, da florista e dos noivinhos, opte por alugar, porque fica muito mais barato;

» Abra mão das suas necessidades supérfluas;

» Assim que for juntando o dinheiro, converse com o gerente do seu banco para deixá-lo aplicado;

» Para a comemoração, opte por uma festinha mais tranquila;

» O livro, Casais Inteligentes Enriquecem Juntos, do Gustavo Cerbasi, vem ajudando muitos casais a economizar para se casarem. Que tal dar uma lida?;

» Mantenha os pés no chão. Observe todas as suas possibilidades e utilize de todas as suas armas para controlar as finanças e polpar dinheiro.