Dicas incríveis para parar de boicotar a dieta de vez

Optar pela boa alimentação após ter tido uma vida de hábitos nada saudáveis é algo bastante difícil, o costume de ingerir certos tipos de produtos e cortá-los de repente, faz com que o nosso organismo se sinta em “abstinência”, deixando-nos ansiosos, nervosos e com uma instabilidade emocional muito elevada.

Por essas e outras razões, é importante estar bem preparado mentalmente para conseguir manter uma dieta saudável, já que os impulsos e as compulsões vão surgir com muita frequência e intensidade, isso porque as tentações são encontradas em todo o comércio, no trabalho, em casa, no colégio, na faculdade e outros ambientes.

Começar uma reeducação alimentar é muito fácil, mas fazer com que ela dure é o que se torna desafiador. Os boicotes alimentares são instintivos e se não soubermos nos controlar, os resultados desejados não vão chegar e o efeito sanfona se tornará algo constante em nosso cotidiano.

O que fazer?

Se você deseja parar de vez de atrapalhar seus próprios objetivos, saiba que está mais do que na hora de mudar a sua vida completamente. Isso será um processo difícil inicialmente, onde tudo dependerá somente da sua força de vontade e persistência para dar certo.

Veja a seguir algumas alternativas que farão com que a sua decisão seja encarada de frente todos os dias como algo bom e estimulante, evitando assim que jogue tudo para o alto!

 1. Faça anotações das dietas que já realizou, dos motivos que te fizeram desistir, de quantas vezes engordou e emagreceu, coloque fotos, etc. Leve esse caderninho para todos os lugares e sempre que tiver desejo de sair da dieta, leia algo que te faça lembrar o porque não deve vacilar novamente.

⇒ 2. Acompanhe o seu progresso, destacando sempre os desafios que foram superados, como você vem lidando com as dificuldades e o quanto elas estão fazendo com que seu cérebro, corpo e emoções evoluam.

Dicas incríveis para parar de boicotar a dieta de vez

Alimentação saudável.
(Foto: Reprodução)

⇒ 3. Se afaste um pouco dos ambientes e pessoas que comem de maneira inadequada o tempo todo, para evitar as tentações. Assim que se sentir seguro, comece a se expor a esses lugares, mas lembre-se de levar consigo algo saudável que seja uma válvula de escape para comer, caso as vontades venham à tona.

⇒ 4. Não tenha pressa nos resultados, emagrecer não é tão rápido quanto pensamos. Isso requer tempo, disciplina e muita dedicação. Portanto, não saia dos planos alimentares e nem da rotina de treinos regulares, nem mesmo nos dias de chuva ou preguiça.

⇒ 5. Sempre que ficar desmotivado, faça questionamentos ao seu interior sobre o porque está fazendo tudo isso, aonde quer chegar e o quanto isso fará bem para sua vida e bem estar. Tenha ícones de motivação, como pessoas que já passaram por isso em portais de auto-ajuda e blogs da internet.

⇒ 6. Estabeleça metas pequenas de médio e curto prazo para sua dieta, assim conseguirá ver os resultados e a palavra “desistir” sairá do seu vocabulário mais rápido do que imagina.

⇒ 7. Tente não adotar uma postura tão radical inicialmente, a não ser que tenha certeza de que conseguirá ser forte o suficiente para conquistar.

⇒ 8. Faça cardápios com receitinhas fitness variadas, para não enjoar da dieta, deixando a alimentação saudável, mas muito nutritiva e saborosa.

⇒ 9. Procure receitas tradicionais que possam ser diversificadas através da troca de ingredientes calóricos pelos mais saudáveis, assim não sairá tanto da rotina e o organismo aceitará com mais facilidade os novos hábitos.

⇒ 10. Não crie um dia específico para o dia do lixo, aliás, se puder, faça com que ele não exista.

 11. Respeite os finais de semana como se estivesse no decorrer da semana, mas não se prive uma vez ou outra de comer o que gosta, desde que essa ingestão seja em pequena quantidade e da maneira mais saudável possível.

⇒ 12. Acompanhe as conquistas de outras pessoas que também estão nessa busca, troque informações, divida experiências, isso será importante no decorrer da fase de adaptação.

⇒ 13. Controle o emocional, criando saídas vantajosas de escape, como fazer exercícios, ler, dançar e ouvir música, ao invés de comer para descontar a tristeza, o cansaço, a angústia e o estresse.

Dica

O auxílio de um bom nutricionista e profissionais de treino físico poderão ajudar nesse processo, fazendo com que a sua motivação e disposição aumentem ainda mais.

Por que o glúten atrapalha a dieta?

Para quem vem aderindo uma vida fitness, com bons hábitos físicos e alimentares, as confusões com informações sobre dietas aumentam cada vez mais, já que diariamente a mídia traz dados novos sobre produtos, destacando seus benefícios e malefícios de consumo.

Mas até onde acreditar? Existem ressalvas para muitos casos e nem todo alimento promove a mesma reação no organismo dos indivíduos, principalmente quando sua ingestão é dinamizada com quantidades corretas (sem exageros).

O ícone em destaque da vez é o glúten, onde muitos afirmam que:

“Seu consumo atrapalha a dieta, dificultando o processo de emagrecimento…”

Porém, os levantamentos de profissionais especializados na área da saúde alimentícia ainda não constataram nenhuma evidência científica que ateste essa informação e/ou comprove que a sua retirada promova a perda de peso.

Por que o glúten atrapalha a dieta?

Alimentos com glúten.
(Foto: Reprodução)

Observe:

O glúten se encontra em alimentos que precisam de trigo, centeio, aveia, cevada e malte para dar viscosidade as massas. Analisando esses produtos e por caracterizá-los como uma mistura que leva farinha branca, é fácil chegar a conclusão de que cortando-os, menos calorias iremos ingerir e por consequência ficaremos mais magros, mas esse resultado só será alcançado se o gasto calórico for superior que sua ingestão – e isso vale para qualquer tipo de dieta e alimentos adicionados nela.

Nutricionistas revelam que a interrupção da ingestão desse composto só é indicada para quem possui alergia ou intolerância. Devido aos demais nutrientes contidos nessas mercadorias, outras (mais saudáveis) são indicadas para manipulação nas refeições. Suas quantidades calóricas são as mesmas das tradicionais, só que sem glúten ou LACFREE (Não tem Glúten) – como descrito nas embalagens.

O que fazer?

A melhor dica é: Procure ajuda de um nutricionista ou profissional da área para a composição da sua dieta, somente com uma análise mais elaborada do seu corpo, hábitos, genética e outros pontos será possível descrever uma alimentação balanceada que fará efeitos rapidamente.

Dica

Conduza seu cardápio alimentar sempre com:

Variações de ingredientes.
Aprenda a ler os rótulos.
Beba bastante água.
Evite o consumo de produtos industrializados, gordurosos, açucarados e com elevados níveis de sódio.
Não se esqueça de combinar tudo isso à prática regular de exercícios físicos, esse é o segredo de combinação para alcançar metas de ganho, perda e manutenção de peso!

É possível controlar o colesterol sem medicamentos?

O colesterol se trata de uma gordura essencial para o organismo, ele é responsável por auxiliar a estrutura corporal na produção de múltiplos hormônios e de vitamina D, também propicia uma maior regeneração dos ossos e dos tecidos.

O corpo consegue gerar cerca de 70% de todo o seu colesterol, para articular o desempenho dessas e outras ações. Suas moléculas transportadoras se subdividem entre LDL (lipoproteínas de baixa densidade) e HDL (lipoproteínas de alta densidade), sendo essas tipagens as responsáveis por determinar se o colesterol se encontra em um quadro bom ou ruim.

Os níveis exagerados do HDL é o que geralmente propicia o aparecimento de problemas na saúde de aproximadamente 7% de toda a população mundial adulta, como:

  • Entupimento das artérias
  • Distúrbios no fígado
  • Doenças cardiovasculares
  • Infarto
  • Derrame cerebral

Níveis recomendados

É possível controlar o colesterol sem medicamentos?

Comer bem.
(Foto: Reprodução)

⇒ LDL: 100 miligramas por decilitro de sangue.
⇒ HDL: 60 miligramas por decilitro de sangue.

Dentre as principais causas da manifestação do colesterol alto, podemos citar:

» Má alimentação, uso demasiado de bebidas alcoólicas, cirrose, hereditariedade, insuficiência renal, hipotiroidismo, sedentarismo, uso de medicamentos, hipertiroidismo, diabetes descompensada e porfiria.

Essa disfunção corporal é assintomática e por essa razão, é essencial que exames de sangue de rotina sejam dinamizados por toda a população, principalmente para aqueles indivíduos que não comem direito, não praticam exercícios físicos, preferem alimentos industrializados, açucarados e com elevadas taxas de gordura (como os fast foods).

Tratamento

Caso seja constatada a presença de colesterol alto, é imprescindível que as recomendações médicas sejam executadas. O uso de medicamentos é bastante relevante em alguns pacientes, mas na maioria dos quadros apenas uma mudança no estilo de vida consegue promover o equilíbrio do LDL e do HDL, como:

Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e gaseificadas, frituras, açúcares, leite integral, manteiga ou margarina, alimentos industrializados, com altas taxas de gordura saturada e cheio de conservantes.

Aumentar a ingestão de ômega 3,  frutas, verduras, legumes, fibras, proteínas, carboidratos de baixo índice glicêmico, oleaginosas e alimentos de origem natural.

Preparar as refeições de maneira mais saudável (com alimentos cozidos, grelhados ou assados).

Comer a cada três horas, mastigando bem e evitando o consumo de líquidos nesse período.

Beber bastante água e sucos naturais no intervalo das refeições.

Parar de fumar.

Praticar exercícios físicos regularmente por cerca de 30 minutos ou mais.

Dieta recomendada a pessoas que passaram por cirurgia bariátrica

A obesidade é um distúrbio completamente prejudicial a saúde, além de promover danos a estrutura corporal, ainda desestimula, entristece e promove uma autoestima baixa. Para quem se encontra em seu estágio mórbido, esses fatores são ainda mais intensos e preocupantes.

Um dos métodos de tratamento ministrados nesses indivíduos é a gastroplastia em Y de Roux ou cirurgia bariátrica. Esse procedimento é compreendido pela diminuição do estômago, onde os profissionais executam um desvio curto da porção inicial do intestino delgado para promover alterações nos hormônios gástricos.

Essa mudança hormonal se reproduz com a diminuição da fome, controle de apetite e maior sensação de saciedade, particularidades que fazem com que o paciente coma menos, não seja tão compulsivo e perca peso com mais facilidade, de maneira saudável.

Dieta recomendada a pessoas que passaram por cirurgia bariátrica

Garfo e fita métrica.
(Foto: Reprodução)

Diversos exames e procedimentos são ministrados no pré-operatório para que todo o processo cirúrgico seja um sucesso. A fase mais difícil dessa recuperação é o pós-operatório, não somente pelos desconfortos que a videolaparoscopia (modelo de cirurgia bariátrica  mais realizada) produz, mas também devido a grande modificação alimentar que esses indivíduos devem dinamizar.

A dieta articulada nesses quadros é a mesma, o que geralmente muda é a quantidade de dias em que suas fases são ministradas. De acordo com análises médicas, a primeira etapa (entre 7 à 10 dias) deve ser efetuada apenas com líquidos, a segunda (entre 10 à 20 dias) com alimentos cremosos ou pastosos e na terceira (após 30 dias) os alimentos sólidos já podem começar a ser adicionados as refeições.

Dicas

» Não quebre a dieta de maneira alguma, isso poderá produzir sérios prejuízos à saúde.

» Evite o consumo de carboidratos nos primeiros meses e caso opte por consumi-los, prefira os de baixo índice glicêmico.

» Tome todos os medicamentos como receitado nas consultas, não esquecendo as suplementações vitamínicas que serão muito importantes.

» Mantenha uma rotina mais saudável.

» Consuma bastante líquido diariamente.

» Faça uma reeducação mental para promover uma reeducação alimentar mais adaptada as suas novas condições de vida.

» Mastigue bem os alimentos e não beba nenhum tipo de líquido enquanto come.

» Evite ao máximo ingerir fritura, refrigerantes, bebidas alcoólicas, doces, açúcares, alimentos industrializados, etc.

» Pratique exercícios físicos iniciais moderadamente, como recomendado pelo médico.

Aviso

Todas as descrições acima são apenas informativas. Para ter orientações precisas sobre o assunto é indicado que a ajuda médica seja procurada.

Dietas para aumentar a disposição

Não existe nada mais terrível do que estar cansada e ter uma lista imensa de atividades para articular durante o dia, não é mesmo? Em razão disso, muitas pessoas vem buscando métodos que forneçam mais ação ao seu metabolismo, sendo a alimentação uma das áreas mais trabalhadas nesse processo.

Quando o organismo recebe nutrientes que elevam a sua disposição, dando mais pique e vitalidade, a preguiça e a sensação de cansaço são eliminadas rapidamente, fazendo com que o indivíduo consiga estabelecer a execução da sua rotina com mais seguridade e eficácia. Outros pontos positivos nessa articulação é a melhora no desempenho da promoção dos exercícios físicos e do funcionamento cerebral.

Por esses e outros fatores, manter uma dieta equilibrada é mais do que fundamental para ter uma vida saudável e cheia de energia. Se você também está em busca desses resultados, veja abaixo uma lista de alimentos que ao serem adicionados nas refeições produzem respostas completamente benéficas!

Dietas para aumentar a disposição

Garota repleta de energia.
(Foto: Reprodução)

⇒ Abacaxi: fonte de fibras solúveis

⇒ Maçã: fonte de flavonoides

⇒ Laranja: fonte de limonoides

⇒ Chá-verde: fonte de teaflavinas, catequinas e quercetina

⇒ Vegetais verde escuros, ervilha e feijão: fontes de vitamina B9

⇒ Aveia, arroz integral e quinoa: fontes de vitaminas B1, B2, B3 e B6

⇒ Ovo e vegano: fontes de vitamina B12

⇒ Peixes, frango e iogurte: fontes de proteínas

⇒ Cereais: fonte de carboidratos com baixo índice glicêmico

⇒ Chia, banana, linhaça, abacate e gergelim: fontes de magnésio

⇒ Oleaginosas: fonte de vitamina E, magnésio, ômega-3, cálcio, zinco e selênio

Atenção: As propriedades descritas acima são essenciais para combater o desânimo, acelerar o metabolismo e dar mais energia.

Observação

A distribuição desses alimentos deve ser articulada na dieta junto a um bom nutricionista. Assim, além de ficar mais disposto, ainda conseguirá emagrecer, perder ou manter o seu peso, eliminando seus quilos de gordura, ganhando e definindo sua carga de massa magra.

Dicas

Se você deseja montar a sua dieta sozinho, siga as dicas a seguir:

Invista em dietas com poucas calorias.

Coma de 3 em 3 horas.

Mastigue bem.

Beba líquidos somente no intervalo das refeições.

Tenha sempre um café da manhã rico em nutrientes.

Opte por fazer lanches leves no período da noite.

Deixe as refeições sempre coloridas.

Prefira o consumo de água e sucos naturais, evitando bebidas gaseificadas, alcoólicas e industrializadas.

Diminua a quantidade das refeições.

Eleve a ingestão de frutas, verduras, legumes, oleaginosas, proteínas, fibras, alimentos integrais e muita água.

Evite ao máximo consumir frituras, gordura, açucares, produtos industrializados, temperos prontos e sódio.