Como acabar com a gagueira

Se tem uma dificuldade de articulação que incomoda os seus detentores é a gagueira ou disfemia, forma como é denominada cientificamente. Esse transtorno acomete milhares de pessoas no Brasil e no mundo, bastante comum entre crianças de 2 à 5 anos de idade, através de episódios curtos, ou seja, passageiros.

Essa condição afeta muito os indivíduos, deixando sua autoestima abalada e levando-os a uma das fortes vítimas de bullying na sociedade. Inicialmente, sua manifestação se apresenta devido a falta de articulação dos pensamentos com o sistema fonético mas, posteriormente, pode se desenvolver, se tornando uma disfunção nervosa.

Nesse estágio, as condições emocionais são as bases que dinamizam a aparição da gagueira, fazendo com que ela se manifeste com muito mais frequência quando os níveis sentimentais são intensos.

Antigamente, esse distúrbio era classificado como um fenômeno de natureza psicológica e por esta razão, não tinha tratamento. Mas após inúmeras pesquisas científicas, especialistas fundamentaram métodos de contenção da disfemia, procedimentos que na maioria dos quadros conseguem promover até mesmo a cura desse transtorno. Confira alguns deles abaixo:

» Observe o desenvolvimento da fala da criança. Caso sua dicção comece a se manifestar com qualquer tipo de alteração, procure um pediatra ou fonoaudiólogo. Quanto antes o tratamento for ministrado, maior é a chance de cura do paciente e menos danos é promovido para a sua saúde emocional.

Dicas para acabar com a gagueira

Exercícios para controlar a disfemia.
(Foto: Reprodução)

» Descubra quais são as causas que estão promovendo a aparição da gagueira e tente contê-las para diminuir os efeitos desse transtorno.

» Fale mais devagar ou até pausadamente.

» Faça atividades que te ajudem a controlar suas emoções, mantendo sempre seu equilíbrio, paciência e calma. A yoga é uma boa tática para ser executada nesse processo.

» Treine diariamente a sua respiração, observando como é realizada a contração dos seus músculos. Evite contraí-los, respire devagar, mentalizando pensamentos bons, relaxando a mente e o corpo.

» Evite olhar diretamente para as pessoas quando for falar, pelo menos no início do tratamento, isso vai ajudar a diminuir a tensão. Uma boca dica nessa articulação é se concentrar em um ponto fixo.

» Treine a fala consigo mesmo de frente ao espelho, com a família e amigos. Faça disso um hábito diário e vá observando as suas evoluções.

» Faça todo e qualquer tipo de leitura possível, mas leia em voz alta. Assim você conseguirá trabalhar a sua respiração, se articulando fluentemente com todos.

» Ouça músicas diariamente, porque elas ajudam a acalmar os ânimos. Cante sempre as suas letras, porque a melodia auxilia na fala correta e na eliminação da gaguez, assim como declamar poemas e poesias.

» Mantenha sua autoestima sempre elevada e não se preocupe com a opinião das pessoas que estão a sua volta. Em casos de pais que possuem filhos gagos, estimulem-os a serem corajosos e os elogiem a cada conquista.

» As consultas terapêuticas auxiliam quase 100% para a cura da gagueira, portanto, faça consultas regulares com um profissional dessa área.

Alertas

Se você possui um ou mais filhos com disfemia, não tente preocupá-lo com esse transtorno, isso pode vir a atrapalhar o seu tratamento. Converse abertamente sobre esse problema com ele/s e tentem juntos encontrar uma saída para solucionar essa falha da fala.

Depressão tem cura sim

Existem inúmeras doenças constatadas na área da saúde que são extremamente prejudiciais para a vida dos seres humanos, bem como a depressão. Essa disfunção pode acometer pessoas de todas as idades (infância, adolescência, maturidade e velhice) e gêneros, com mais frequência nas expostas diariamente a tensões, pressões psicológicas, problemas difíceis, perdas familiares, etc.

É classificada como uma enfermidade psiquiátrica crônica, tendo como seus principais sinais de manifestação as alterações de humor e comportamento, como:

  • Tristeza profunda
  • Desesperança
  • Culpa
  • Baixa autoestima
  • Amargura
  • Medo
  • Insegurança
  • Isolamento
  • Distúrbios no sono e apetite
  • Anedonia
  • Estado deprimido
  • Pensamentos obscuros voltados a morte e ao suicídio

Observação: Inúmeras razões podem promover o aparecimento da depressão, sendo mais comum em indivíduos que são predispostos geneticamente e hereditariamente a tê-la.

Os quadros depressivos variam de frequência e intensidade, podendo se manifestar de forma leve, moderada ou grave. Nem todos os enfermos que se encontram nessa situação admitem que estão doentes, por isso a observação dos familiares, amigos e pessoas próximas se faz tão importante em alguns casos.

O que fazer?

Depressão tem cura sim

Mulher depressiva isolada.
(Foto: Reprodução)

Assim que as modificações no comportamento forem notáveis, a ajuda médica deverá ser procurada rapidamente. Quanto antes um diagnóstico preciso for ministrado e o tratamento específico do paciente executado, mais chances de cura ele terá, além de diminuir os riscos de danos a sua saúde e vida.

É essencial que uma analise diferenciada seja efetuada nesses casos, a depressão costuma estar associada a presença de vários transtornos, sendo por vezes um sintoma decorrente deles.

Tratamento

O acompanhamento médico é essencial para o tratamento de pessoas depressivas, mas os métodos utilizados para conter a enfermidade vão variar de acordo com as observações destacadas no diagnóstico. Mudanças de hábitos de vida, procedimentos farmacológicos e psicoterápicos, realização de atividades físicas e mudanças alimentares são bastante relevantes nesse processo.

Cura

Por mexer constantemente com o cérebro, pensamentos e sensações emocionais, a cura pode ser um resultado difícil de alcançar, mas não impossível. O mais importante durante todo o tratamento é que o indivíduo esteja ciente que está doente, lute para sair desse estado e tenha força de vontade, contando com a sua fé, apoio de toda equipe médica, familiares e dos amigos para obter melhora o quanto antes.

Atenção!

Se você mantém qualquer tipo de contato com uma pessoa depressiva, procure se informar mais sobre a doença, assim poderá participar dessa recuperação, oferecendo apoio, equilíbrio, animação e ainda inserir esse paciente de volta a sociedade, dando motivos para que ele sorria de novo.

Toxoplasmose tem cura

A toxoplasmose ou doença do gato, como é denominada popularmente, é uma enfermidade infecciosa grave, que pode se manifestar através de diversificados tipos de características.

Sua aparição, se dá através do protozoário Toxoplasma gondii, que pode vir a ser transmitido com menos frequência por seres humanos e pelos animais, sendo que os gatos e as aves são destacados como os principais hospedeiros desse micro-organismo.

As principais pessoas acometidas pela doença são as que se encontram em estado de saúde mais debilitada, com baixa imunidade. As grávidas também são propensas para adquirir essa enfermidade, que pode vir a provocar danos tanto à saúde da mulher, quanto para a do feto, como sua morte, em situações mais graves.

Sintomas

A aparição costuma se manifestar entre a 1° e a 2° semana, após o contato com o parasita. A enfermidade por vir a afetar importantes órgãos, como olhos, fígado, pulmões, coração e o cérebro.

Toxoplasmose: causas, sintomas, cura, tratamento, prevenção e complicações

Criança brincando com gato.
(Foto: Reprodução)

» Dor de cabeça;
» Dor muscular;
» Dor de garganta;
» Confusão;
» Febre;
» Cefaleia;
» Convulsões;
» Retardo mental;
» Problemas de pele;
» Diminuição do ritmo de crescimento;
» Inflamação da retina que provoca visão borrada;
» Linfonodos aumentados na cabeça e no pescoço;

Transmissão

Através do contato com animais hospedeiros do parasita, transfusões de sangue ou transplantes de órgãos, descuido ao manipular caixas de excrementos de gatos e outros animais, transmissão da mãe infectada para o feto, consumo de carnes mal passadas e contaminadas.

Ajuda médica

Assim que os sintomas começarem a se manifestar, a ajuda médica deverá ser procurada, para que um diagnóstico preciso da doença seja feito, isso porque a toxoplasmose é considerada como uma doença grave e quanto antes seu tratamento é ministrado, menos danos são causados ao organismo do enfermo.

Tratamento

O principal método de tratamento utilizado para a contenção da toxoplasmose, é o uso de medicamentos, que incluem drogas antimaláricas e antibióticos. Suas dosagens vão variar de acordo com o diagnóstico médico, o grau da enfermidade e as condições do paciente.

Tem cura?

Nos adultos, quando a doença é tratada de maneira correta, a cura da toxoplasmose é quase 100% garantida, mas em casos de bebês, quase nunca a doença tem cura, isso porque ela degenera seu organismo ainda na gestação.

Complicações possíveis

» Incapacidade permanente;
» Reaparecimento da doença;
» Óbito;

Prevenção

» Lavar bem as mãos quando for manipular alimentos, principalmente as carnes cruas;
» Congelar as carnes por cerca de 2 dias à -20 °C;
» Evitar o consumo de carnes cruas e mal passadas;
» Lavar as mãos sempre que manipular a terra que armazena fezes de animais;
» As grávidas devem evitar ficar próximas a animais e seus habitats;

Aviso

Os dados escritos nesse artigo são de inteiro uso para pesquisas sobre a toxoplasmose. Caso necessite de informações e diagnósticos precisos sobre a enfermidade, procure orientação médica. 

Como curar neurodermatite no couro cabeludo

neurodermatite é provocada quando o indivíduo costuma esfregar ou coçar a pele com frequência. No couro cabeludo, esse transtorno se manifesta em grande escala, principalmente quando o cabelo está sujo, em dias quentes, após realizar exercícios físicos, etc.

Outros fatores que costumam ocasionar esse distúrbio são a má alimentação, sudorese, estresse, irritabilidade ou nervosismo, alergia, mudanças bruscas de temperatura, cansaço, tique nervoso, piolho, sujeira, acumulo de cremes de cabelo e gel.

Neurodermatite: causas, sintomas, tratamento e prevenção

Homem olhando o pôr do sol.
(Foto:Reprodução)

Sintomas

» Espeçamento da pele;
» Descamação do couro cabeludo;
» Coceira incontrolável e frequente;
» Lesões e feridas na pele;

Tratamento e prevenção

Os métodos utilizados irão variar de acordo com a causa do problema, podendo ser eles:

» Banho frio ou morno. Água quente provoca ainda mais coceira;
» Hidratação do couro cabeludo, assim como manter uma boa higienização;
» Uso de pomadas ou soluções com corticóides para o tratamento das lesões;
» Utilização de anti-histamínico para controlar e acabar com a coceira;
» Evitar dormir com cabelo molhado;
» Não deixar o cabelo preso ou usar bonés, chapéus, etc, enquanto ele estiver molhado;

Tem cura?

Esse transtorno tem cura, mas para chegar a esse resultado, é necessário que o tratamento seja realizado de maneira correta, pelo tempo indicado pelo médico.

Aviso

Todos os dados contidos nesse texto são para uso informativo, para diagnósticos precisos sobre a neurodermatite, procure orientação médica.

Formas de transmissões do HPV

O HPV se trata de uma doença sexualmente transmissível causada pelo papilomavírus humano, uma das enfermidades que vem se fazendo alarmante no século XXI, principalmente entre adolescentes e adultos e, por ser de difícil cura, tanto em mulheres quanto em homens.

Essa DST é conhecida popularmente como verrugas genitais, crista de galo, condiloma acuminado, cavalo de crista e figueira. O primeiro sintoma que se manifesta no indivíduo quando seu organismo é acometido pela doença são as verrugas, que se manifestam com mais intensidade na região íntima do homem e da mulher, nos lábios e na parte interna da boca.

Transmissão

A forma mais vista da transmissão do HPV é o contato sexual, onde nenhum dos parceiros utilizam proteção, sendo que um deles deverá estar contaminado pelo papilomavírus para realizar o contagio do outro. O período de incubação do micro-organismo se dá entre 1 mês à 2 anos, podendo os sintomas vir a serem aparentes ou não.

HPV: transmissão, sintomas, tratamento, prevenção e cura.

O HPV pode acometer tanto homens quanto mulheres. E a melhor forma de prevenir a doença é o uso do preservativo. (Foto: Divulgação)

Mesmo quando os sinais da doença não se manifestam (principalmente nos homens), o vírus continua ativo no organismo do indivíduo, possibilitando assim a sua transmissão.

Sintomas

O primeiro e principal fator que indicia o aparecimento do HPV são as verrugas, que podem se dar em:

» Mulheres: colo do útero, vagina e vulva;
» Homens: glande;
» Ambos: região do ânus, boca e garganta.

Diagnóstico

Esse processo pode ser  realizado através da observação clínica, da biopsia das verrugas ou do papanicolau (em mulheres).

Tratamento

Após a observação do indivíduo, o médico irá descrever o tratamento adequado para o seu quadro e o período em que todo o procedimento de cura deverá ser ministrado, podendo ele se dar pelo uso de pomadas, cremes e cirurgias de cauterização.

Prevenção

A melhor forma de prevenir o contágio do organismo com o HPV é utilizando camisinha em todas as relações sexuais.

Tem cura?

É uma doença de difícil cura, mas pode-se alcançar a eliminação completa do vírus, isso se o paciente realizar todo o tratamento de forma adequada, se prevenir em suas relações íntimas,  alimentar-se corretamente, utilizar todos os remédios ministrados pelo tempo determinado pelo médico, etc.

Aviso

Esse texto se faz como um informativo, portanto, mesmo após analisar as suas informações, procure uma orientação médica sobre essa enfermidade, ainda mais se ela estiver acometendo o seu corpo.