Alisamento capilar sem chapinha

Os cabelos lisos sempre estiveram na moda, apesar de nem todas as pessoas possuírem esse biotipo capilar. Para atingir o resultado muitos procedimentos já foram inseridos no mercado, desde muito tempo atrás, antes da aparição das chapinhas – mercadoria que atualmente facilita a dinamização desse desejo.

No tempo das nossas avós e bisavós, os cabelos crespos, cacheados e ondulados eram esticados através de outros métodos, que além de deixar os fios com uma estrutura bonita esteticamente, ainda promoviam uma maior hidratação, suavidade, leveza e brilho, sendo esses:

Alisamento capilar sem chapinha

Mocinha com o cabelo liso e macio.
(Foto: Reprodução)

» Bobes;
» Rodinha com grampos;
» Touca de meia.

Todos esses artifícios promovem o alisamento, contudo, ao contrário das chapinhas, secadores e agentes capilares químicos (como os alisantes e as progressivas), não acarretam danificação às madeixas, fazendo com que elas não fiquem quebradiças, com pontas duplas e sem vida.

Devido a essas e outras vantagens, as atividades descritas acima estão sendo abordadas novamente, tanto em casa, quanto nos grandes, médios e pequenos salões de beleza. Recorrer a uma dessas técnicas de vez em quando, pode ser uma excelente saída para possibilitar a recuperação da saúde dos fios.

Recomendações

» Evite lavar os cabelos na água muito quente ou fria. Procure uma temperatura ideal para realizar essa limpeza;

» Utilize cosméticos capilares voltados para o seu biotipo fio, de preferência os que possuem a presença de aloe vera ou camomila, esses promovem uma maior hidratação dos fios;

» Passe protetor térmico nas madeixas antes de executar o ministramento de chapinhas, secadores ou babyliss;

» Hidrate o cabelo entre 2 à 3 vezes por semana, principalmente se ele for loiro e estiver química;

» Penteie o cabelo por partes, separando-o por mechas para não quebrar a sua estrutura ou elevar os seus níveis de queda;

» Não deixe cremes, gel’s e outras loções por muito tempo nos fios, principalmente em contato com o couro cabeludo, além de danificá-los, poderão causar alguns transtornos, como a manifestação de caspas, seborreia, etc.

Curiosidade

Houve uma época que as mulheres utilizavam os ferros à vapor (de passar roupa) para o alisamento, o que é uma loucura! O vapor esquenta o couro a ponto de danificar os fios desde ao couro até as pontas.

Implante capilar: como funciona e média de preço

A calvície é um dos problemas capilares mais incômodos da sociedade, atingindo com mais frequência e intensidade o público masculino que o feminino, devido a atrofia dos fios, sua queda gradativa, a genética, hereditariedade, maus hábitos de vida, má higienização do couro cabeludo, entre outros fatores.

Os implantes vem sendo uma das saídas mais vantajosas para esses indivíduos, porque além de ser classificado dermatologicamente como um procedimento estético eficiente, possui uma média de preço bastante atrativa, variando entre R$ 5 mil reais à R$ 25 mil reais (por cirurgia ou por sessão).

Observação: A maioria das clínicas que executam nessa atividade dividem o valor total do implante

Requisito

Mesmo que a calvície comece a se apresentar muito cedo, a realização do implante é indicada pelos dermatologistas apenas para pessoas que possuem mais de 25 anos.

Implante capilar: como funciona e média de preço

Indivíduo com início de calvície.
(Foto: Reprodução)

Como é realizado?

O implante é executado através de um procedimento cirúrgico simples, onde uma anestesia local é aplicada e através de um tubo (agulhinhas) são inseridos grupos de unidades foliculares no couro cabeludo.

Duração

Uma sessão de implante dura entre 2 à 7 horas, sendo que o indivíduo fica sedado por todo esse período. Não é necessário internação.

Pós-operatório

Assim que as sessões são finalizadas, uma atadura é colocada na cabeça do paciente, devendo ele ficar com ela por pelo menos 24 horas. O local irá ficar inchado e manifestará dor durante alguns dias, para isso, deve ser ministrado o uso de analgésicos, para diminuir os desconfortos.

Casquinhas se formarão nos primeiros dias, na região onde o implante foi inserido. Elas NÃO devem ser retiradas manualmente em hipótese alguma, pois pode atrapalhar a cicatrização e a qualidade da cirurgia.

Alta

A alta do paciente é dada no mesmo dia ou no dia seguinte após realizar do processo cirúrgico.

Tempo de recuperação

Estima-se que esse período seja de duas semanas. Portanto, antes desse prazo, deve-se evitar a realização de atividades rotineiras, banhos de sol, piscina, prática de exercícios físicos, etc.

Benefícios

As principais vantagens constatadas nos pacientes, depois da realização do implante são a melhora na autoestima, o melhor convívio com a sociedade, alegria, auto astral, bem estar, modificação dos hábitos de vida, se tornando mais saudável e vaidoso.