Como reduzir os efeitos do sol nos cabelos

O verão é uma das estações mais aguardadas do ano por milhares de pessoas no mundo, porque propicia um clima completamente contagiante para quem gosta de ir para a praia, clubes, rios e realizar outras demais opções de entretenimento refrescante.

Mesmo se tratando de algo tão divertido e animador, é importante que todos estejam atentos aos cuidados que esse período necessita, como uma maior proteção da estrutura corporal contra os raios solares, que se tornam ainda mais intensos nessa época.

As madeixas se tratam de uma das particularidades que merecem total atenção nos dias com elevadas temperaturas, para que sua extensão não apresente quedas ou fique quebradiça, com pontas duplas, ressecada, sem movimento, brilho e vida.

Como reduzir os efeitos do Sol nos cabelos

Mulher protegendo os cabelos dos raios UV.
(Foto: Reprodução)

Se você vem buscando medidas para zelar mais dos seus cabelos no verão, está no lugar certo! Confira a seguir algumas delas e aproveite para começar a colocá-las em prática agora mesmo.

Evite pegar sol entre às 10 horas da manhã até às 16 horas da tarde.

Aplique filtro solar capilar nos fios ao longo do dia (para saber as melhores marcas, clique AQUI).

Beba bastante água para manter o organismo bem hidratado.

Comece a articular hábito de uso de produtos leave-in e cremes sem enxague para diminuir o ressecamento.

Enxágue os cabelos ao sair do mar ou da piscina para tirar o excesso de sal ou cloro.

Utilize shampoo anti-resíduos, condicionadores e/ou máscaras hidratantes quando chegar em casa ou no hotel (caso esteja viajando).

Passe protetores térmicos no cabelo antes de fazer escovas ou passar chapinhas.

Se alimente bem, dando destaque as refeições saudáveis e fracionadas.

Faça o uso constante de adereços que protejam os fios do sol, como chapéus, bonés, guarda-sol, tendas, etc.

Como fortalecer os cabelos com babosa

Um dos vegetais que vem sendo destacados no ramo estético devido aos seus benefícios é a babosa, porque sua estrutura possui componentes excelentes para tratamentos de beleza em geral, além disso, consegue prevenir e ajuda a combater problemas de saúde como as infecções, que podem acometer o organismo por vários motivos.

Popularmente chamada de aloe vera, a babosa, quando ministrada de maneira correta, consegue fortalecer os fios capilares, dando a eles mais resistência, brilho e maciez, evitando as pontas duplas, a queda do cabelo e a calvície. As relevantes razões que propiciam essas vantagens, são as propriedades hidratante, regeneradora e nutritiva que possui.

Como usar?

Dicas para fortalecer os cabelos com babosa

Babosa.
(Foto: Reprodução)

Siga os passos abaixo e veja como ministrar a babosa no cabelo, para promover os seus benefícios aos fios:

» 1° passo: Pegue uma pouco de creme de hidratação e coloque em um recipiente;

» 2° passo: Separe uma folha de babosa, abra-a, retirando toda a sua “baba” e a adicione no creme;

» 3° passo: Misture bem;

» 4° passo: Com os cabelos bem lavrados e penteados, passe a mistura nos fios como se estivesse fazendo uma massagem;

» 5° passo: Prenda os cabelos com uma presilha e deixe a hidratação agir entre 5 à 15 minutos;

» 6° passo: Depois enxágue bem os fios.

Esse processo deverá ser realizado uma vez por semana ou a cada 15 dias.  Quando for passar o creme, espalhe-o dois dedos abaixo da raiz, para que o produto não entre em contato com o couro cabeludo.

Dica

Uma boa tática que também irá ajudar na hidratação e fortalecimento dos cabelos, é o uso de loções, cremes e shampoos à base de aloe vera. Assim, além de manter a hidratação com o próprio vegetal (como descrito acima), ainda irá promover o cuidado diário com os fios.

Observação: Existem algumas clínicas estéticas e de manipulação que vendem esses produtos com níveis mais concentrados da babosa. Eles também são indicados para uso.

Hormônio responsável pelo crescimento do cabelo

Hormônio do crescimento do cabelo

Você já reparou como a barba demora mais para crescer em alguns meninos? Ou quando eles já estão em fase adulta, mas continuam sem aparentes “pelos” que declaram o quanto estão “crescidos”. Muitos ficam até chateados, devido a falta dessa aparência adulta.

O que acontece é a diferenciação entre um organismo e outro. Não são todas as pessoas que desenvolvem ou que possuem altos níveis do “hormônio do crescimento”, isso para todas as partes do corpo, inclusive o cabelo. Contando é claro, com as demais substâncias que ajudam no crescimento, também presentes no organismo.

O hormônio de que falamos é a testosterona. Ela é responsável (principalmente nos homens) pelo crescimento e aumento do corpo devido a vários motivos. Quando associada a efeitos corretos no organismo, o desenvolvimento, como um todo, se torna rápido.

O crescimento dos cabelos ocorre durante toda a vida.

Cabelos grandes (Foto: Reprodução)

O corpo cresce em média até os 21 anos, podendo ser retida ou prolongada essa idade de acordo com o desenvolvimento da pessoa. Mas os casos em que ultrapassam ou retém tal idade não são comuns, exceto no caso de anomalias ou problemas de desenvolvimento.

Caso você não concorde com o crescimento do corpo ou de qualquer parte dele, bem como os cabelos, procure um endocrinologista ou urologista. Esse é responsável por esse tipo de via no corpo.

E nas mulheres?

No caso das mulheres, existe um hormônio também do crescimento que denomina-se GH.

Ele é totalmente responsável pelo crescimento, quando se trata de proteína globular. Além de retardar a calvice ocorrida pela idade, também garante o crescimento dos fios. Contudo, é importante que saiba que para fazer uso do produto, é necessário contratar uma clínica de estética.

Isso porque os procedimentos de aplicação são de necessidade profissional. Além do crescimento dos cabelos, ele também proporciona:

  • Restauração dos tecidos musculares
  • Restauração dos tecidos ósseos
  • Produzem enzimas
  • Mantém a integridade dos cabelos
  • Mantém a integridade das unhas e da pele

Pode ser produzido em determinadas épocas da vida, mais do que outras. Sua maior produção é atingida na adolescência. Em média 14% a cada 10 anos. Os tratamentos a base de GH devem ser feitos com cuidado e muito profissionalismo. Também evite o excesso de químicas.