Músculos movimento joelho

Os membros inferiores são responsáveis por realizar a locomoção de peso e a manutenção de equilíbrio do corpo humano e tem como um dos seus principais componentes os joelhos, que realizam a intermediação das partituras encontradas nessa região da estrutura corporal.

Observando a fisiologia do joelho, é possível ressaltar que essa articulação se faz como uma das mais livres dos membros inferiores, isso porque seus principais movimentos, a flexão e a extensão, possibilitam o afastamento e a aproximação do membro da sua raiz, fazendo  com que consiga controlar a distância do corpo em relação ao solo.

Movimentos

» A flexão se dá através do afastamento da face posterior da perna em relação a face posterior da coxa;
» A extensão acontece quando a face posterior da perna se aproxima da face posterior da coxa;
» A rotação interna ocorre quando a ponta do pé é levada para dentro, intervindo no movimento de adução do pé;
» A rotação externa acontece quando a ponto do pé é levada para fora, intervindo no movimento de abdução do pé;

Toda a sua estrutura trabalha com fundamentos completamente interligados a compressão sob a ação do peso. Os músculos que fazem parte dos movimentos articulares dos joelhos são:

Flexão

» Sartório;
» Grácil;
» Bíceps femoral;
» Semitendinoso;
» Semimembranoso;
» Plantar delgado (fraco);
» Poplíteo (auxilia);
»  Gastrocnêmios (auxilia).

Extensão

» Vasto lateral;
» Vasto medial;
» Vasto intermédio;
» Quadríceps femoral;
» Tensor da fáscia lata (auxilia);
» Reto femoral;
» Glúteo máximo (auxilia).

Rotação interna

» Sartório;
» Grácil;
» Poplíteo;
» Semitendinoso;
» Semimembranoso.

Rotação externa

» Bíceps femoral;
» Tensor da fáscia lata (auxilia);
» Glúteo máximo (auxilia).

Os joelhos são compostos por três articulações, quando é observada a sua estrutura geral, sendo elas duas femorotibiais e uma femoropatelar. Existem ainda alguns elementos que ajudam a proporcionar reforço a esses membros:

» Ligamento poplíteo arqueado;
» Ligamento poplíteo oblíquo;
» Ligamento cruzado anterior;
» Ligamento cruzado posterior;
» Ligamento colateral medial/tibial;
» Ligamento colateral lateral;
» Ligamento patelar;
» Cápsula articular fibrosa;
» Meniscos.

Músculos movimento joelho

Fisiologia dos músculos de movimentação do joelho.
(Foto: Reprodução)

Ligamento do braço

O braço corresponde a extremidade ou membro superior da estrutura corporal dos seres humanos. Na anatomia, seu osso principal é denominado como úmero, que fica articulado com o ombro (formado pela escápula ou omoplata) e com o cotovelo (formado pela ulna e o rádio), dando continuidade posteriormente ao antebraço.

A sua musculatura se subdivide em quatro grupos: coracobraquial (liga o úmero à apófise coracóide da omoplata no ombro), branquial (faz a ligação com o cúbito com o cotovelo), bíceps (liga igualmente à apófise coracóide e a  à cavidade glenóide da omoplata) e tríceps (responsável pelo movimento longitudinal do cotovelo).

Úmero

Sua estrutura se dá por um osso longo com superfícies articulares, recobertas com cartilagem articular, responsável por proporcionar o deslizamento dos ossos entre si devido ao seu tecido ser bastante liso.

Em relação a sua localização, é possível ver que uma das suas articulações se encontra distal junto ao cotovelo e a outra proximal, possui um segmento de esfera (cabeça) do úmero, responsável por se articular com a escápula em uma cavidade glenoidal, que faz uma conjunção com o tórax, seus músculos, ossos, ligamentos, etc.

Ligamento do braço.

Representação da estrutura óssea superficial do úmero.
(Foto: Divulgação)

Ligamentos

Os ligamentos são ditos como tecidos que conectam um osso ao outro para manter a estabilidade de ambos, assim como acontece com o úmero.

» Ligamentos do ombro: gleno-umeral superior, médio e inferior;
» Ligamentos do cotovelo: colateral medial e colateral lateral;

Ligamentos do braço.

Representação dos ligamentos do cotovelo (na imagem à esquerda) e do ombro             (na imagem da direita).
(Foto: Divulgação)

Rotura ou ruptura de ligamentos

Esse processo se dá quando o ligamento não consegue mais suportar as articulações, fazendo assim com que sua estrutura se rasgue ou estique de maneira prejudicial ao corpo.

Os ligamentos são compostos por tecidos fibrosos, responsáveis por manter os ossos unidos. A sua ruptura acontece com mais frequência nos membros superiores, mas pode vir a atingir a região do ombro e do cotovelo, dependendo do acidente que o indivíduo for exposto.

As quedas, os acidentes de trânsito e os de trabalho são os principais responsáveis por proporcionar a ruptura dos ligamentos do braço. Assim que a lesão acontece, o indivíduo fica com um grande edema na região, além de sentir muitas dores e não conseguir movimentar a região.

Tratamento

O tratamento da lesão ou fratura só é realizado após o diagnóstico médico e a análise dos exames de raios x. Em quadros leves, os ortopedistas costumam proteger a articulação e comprimi-las para amenizar a dor, deixando-a imobilizada com tala ou gesso. Já nos graves, cirurgias poderão ser feitas para conseguir colocar o ligamento no lugar novamente. O uso de medicamentos poderá acontecer em ambos os casos.

O tempo de tratamento, isto é, que a região afetada ficará imobilizada e sendo observada com consultas regulares, dependerá da gravidade do quadro, das reações do organismo com o tratamento e do ministramento médico.

Atenção: este informativo não vale como uma orientação médica, portanto, procure imediatamente uma boa clínica ortopédica se essa patologia está acometendo o seu organismo.