Fiapo de Jaca » Estilo de Vida » Vício em musculação, existe?

Vício em musculação, existe?

Até quando a prática dos exercícios físicos é considerada normal? Para quem não sabe, exitem muitas pessoas passando por crises de compulsão pela modalidade, proporcionando danos ao seu organismo. Clique AQUI e fique por dentro do assunto!

     

A prática de exercícios físicos é essencial para que a saúde e a estética se mantenham sempre em bom estado, evitando o aparecimento de disfunções físicas e emocionais. Porém, existem alguns praticantes que vem dinamizando essa modalidade em excesso, ou seja, tendo crises compulsórias, sendo elas denominadas por especialistas de vigorexia.

O transtorno compreende a insatisfação constante com a estrutura corporal, fazendo com que os desportistas nunca se sintam bem com suas curvas, tamanhos, força, peso e disposição, algo sempre estará errado ou considerado insuficiente.

Essa sensação faz com que os portadores da vigorexia executem séries intensas de exercícios de musculação várias vezes por dia, adicionando em sua rotina o uso de múltiplos anabolizantes para que o crescimento da musculatura seja apresentado em um menor prazo e em maior proporção.

Vício em musculação, existe?

Vigorexia em ação!
(Foto: Reprodução)

Manter essa constante obsessão propicia sérios danos a saúde, como:

Aparência masculinizada (nas mulheres)
Lesões nas articulações e musculaturas
Alterações comportamentais e de humor
Traumas renais
Aumento da pressão arterial
Doenças no fígado, no sistema cardiovascular e cânceres
Obstrução da vesícula biliar
Problemas nos órgãos genitais masculinos que podem levar a infertilidade, como disfunção erétil e atrofia dos testículos

Como identificar?

Os sinais dessa compulsividade são manifestados através de atitudes simples, como “sentir que o mundo vai acabar se não treinar”, abandonar amigos e atividades importantes para ir academia, estar sempre insatisfeito com seu corpo, ficar com baixa autoestima, ansioso e depressivo, etc.

Tratamento

Se os sintomas estão começando a se apresentar com frequência, já está mais do que na hora de buscar ajuda médica, de preferência com um bom psicólogo para saber se a disfunção presente se trata mesmo de um quadro de vigorexia. Os métodos de tratamento para esses pacientes envolvem inibição da manipulação de anabolizantes, mudanças de hábitos físicos e alimentares, terapias e uso de medicamentos.

Aviso

Para mais informações procure orientação médica. Quanto antes esse auxílio for promovido, menos prejuízos serão ocasionados ao organismo.

Saiba Mais:


Quer comentar ?